Pecuária

Carne Bovina: dependência preocupa

A estratégia da Rússia em acusar o Brasil de ter problemas sanitários em seus frigoríficos e decretar embargo às importações de carne caiu por terra e veio à tona a verdadeira intenção que era a de pressionar o Brasil para apoiar o país a ingressar na Organização Mundial do Comércio (OMC). “Isso nos deixou uma grande lição de que não podemos ficar dependentes de um comprador e de que precisamos buscar novos mercados para a carne brasileira”, disse o superintendente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Luciano Vacari.

Ele ressalta “que a Rússia colocou em cheque a qualidade da carne brasileira perante o mundo por motivos muito distantes da sanidade animal e não podemos ficar refém de atitudes como esta”.

A Rússia continua como um dos grandes compradores da carne bovina mato-grossense. Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), das 96,5 mil toneladas em equivalente carcaça exportadas pelo Estado no primeiro semestre de 2011, a Rússia aparece como maior consumidor da carne mato-grossense. O mercado russo respondeu por 28,2%, ou 27,2 mil toneladas equivalente carcaça. A média mensal caiu 2,77% com relação ao mesmo período de 2010, que era de 4.661 toneladas em equivalente carcaça, para 4.532. Mas, apesar desta queda no volume exportado, a média no valor financeiro subiu 22,66%, saindo de US$ 13,14 mil para US$ 16,11 mil

A comparação entre os períodos revela ainda que a carne estadual valorizou. A variação no valor pago pela tonelada no primeiro semestre de 2010 ante o primeiro semestre de 2011 foi de 34,5% segundo levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). De US$ 2,86 mil a tonelada equivalência carcaça subiu para US$ 3,84 mil no mesmo período deste ano. Demanda aquecida e oferta escassa elevaram as cotações internacionais.

Outro exemplo é o Oriente Médio, o segundo maior mercado à carne estadual, que apesar da queda de 13,38% no volume de compras, ampliou em 7,20% a receita. Os dois principais destinos da carne de Mato Grosso, Rússia e Oriente Médio, representaram 60,9% dos embarques.

A União Europeia, principal comprador até o primeiro semestre de 2007, respondeu no último semestre por apenas 4,7% dos embarques da carne mato-grossense. A queda no volume exportado no primeiro semestre de 2010 para o mesmo período de 2011 foi de 26,10%, saindo de 1.026 toneladas equivalente carcaça para 759 mil, O volume da receita entrando, caiu apenas -5,82%.

Em contrapartida a China continua surpreendendo e aumentou as importações do primeiro semestre do ano passado para o deste ano, em 11,06%, com um volume de 7.476 mil toneladas equivalente carcaça.

Data: 02-08-2011
Fonte: Diário de Cuiabá

Fonte: http://www.agronline.com.br/agronoticias/noticia.php?id=27412