Variedades

Caracterização de sementes de variedades de mamona (Ricinus communis L) na região sul do rio grande do sul

Fontes renováveis de energia são o foco atual no estudo de alternativas ao uso de petróleo e seus derivados para fins energéticos. O PROALCOOL que direcionou o interesse à cana na década de 80 deu lugar, desde 2002, ao Probiodiesel que voltou-se a qualquer biomassa viável, técnica e economicamente. O estudo da mamoneira no Rio Grande do Sul como fonte energética justifica-se pela comprovada potencialidade da espécie no país, pela escassez de dados sobre variedades no estado e pela disponibilidade da espécie na região. Este trabalho consistiu na avaliação de sementes de variedades locais e de materiais já comercializados no Brasil, fornecidos pelo IAC. A extração do óleo com solventes orgânicos foi o principal foco do trabalho. Os dados avaliados demonstraram que o éter etílico alcançou melhor rendimento médio que o hexano, respectivamente, 44,8 e 39,7%. A análise pelo teste Duncan demonstrou que existem quatro grupamentos em função do rendimento médio obtido. A variedade AL Preta, com 48%, obteve maior rendimento, enquanto a Cultivar T1 aparece com o menor valor, cerca de 38%. A caracterização das variedades permite comprovar a viabilidade de explorar a mamoneira como matéria-prima para biocombustível no Sul do Rio Grande do Sul.

Fonte: biodieselbr.com