Características da Laranja Azeda e Doce

A laranja azeda tem outras características. Geralmente a sua árvore é pequena, com muitos espinhos nos galhos, e as folhas são perfumadas. O sabor da sua polpa não é agradável como o da laranja doce e normalmente não é comida pura, nem seu suco é aproveitado. No Brasil, o mesocarpo da laranja azeda é utilizado na preparação de doces caseiros, enquanto a casca como um todo, normalmente grossa, e a polpa são empregados na fabricação de doces. No sul da França, as flores da laranja azeda são destiladas para a fabricação de perfume. Dos botões das flores, dos brotos e das folhas se extraem óleos e essências. As espécies de laranja azeda mais populares no Brasil são a laranja-da-terra, a laranja-da-china e a laranja-caipira.
Na Europa, principalmente na Espanha, há uma outra variedade de laranja, conhecida como laranja sangüínea. Seu nome deve-se ao seu suco, que tem uma pigmentação vermelha chamada antocianina. Esta variedade possui um teor de ferro superior ao das outras laranjas.
Cultivo. A laranjeira é uma árvore muito sensível ao frio ou a um aumento repentino de temperatura. Se os termômetros caem a menos de -4°C, a fruta e a árvore podem se ressentir. Por essa razão, a laranjeira vive melhor em climas tropicais ou subtropicais.
Embora a laranjeira desenvolva-se bem nas regiões tropicais, o calor muito elevado causa um problema sério: o fruto é pálido e quase sem sabor. É por esse motivo que a cultura comercial da laranja limita-se, efetivamente, às zonas subtropicais. Nessas áreas, no entanto, as árvores estão sujeitas a repentinas ondas de calor, que podem provocar a queda dos frutos ainda verdes.
A laranjeira adapta-se praticamente a qualquer tipo de solo. Entretanto, desenvolve-se melhor em solos bem drenados, nem excessivamente ácidos nem alcalinos, profundos e regularmente enriquecidos com matérias orgânicas e minerais. Quando os solos são rasos e arenosos, é necessária a aplicação de um completo programa nutritivo à árvore, que inclua o fornecimento de manganês, molibdênio e boro. Às vezes, também se utilizam sais ricos em zinco e cobre, que são borrifados nas árvores.

Fonte: http://amora.cap.ufrgs.br/test/ai/aveialaranja/LARANJA.html