Laranja

Capacitação assegura melhor produção de laranja lima em Alagoas

Curso aborda fortalecimento da agricultura familiar e novas técnicas de manejo

René Le Campion – estagiária

Um curso de manejo integrado do solo começa nesta quinta-feira, 20, em Santana do Mundaú, destinado aos produtores de laranja lima, que fazem parte do Programa de Arranjos Produtivos Locais (PAPL), coordenado pela Secretaria de Estado do Planejamento e do Orçamento (Seplan) e pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Alagoas (Sebrae).

Com duração de dois dias, o curso tem como visa capacitar os envolvidos na produção integrada de citros a realizar o manejo dentro das práticas exigidas. O cultivo da laranja lima no Estado conta com mais de 2.500 pequenos produtores, concentrados na região Vale do Mundaú.

Um corpo técnico ficará responsável por ensinar a prática da análise de solo e recomendações de adubação; as práticas do uso de coberturas e diversidades de espécies vegetais nas entrelinhas de cultura; o manejo adequado das plantas infestantes e o manejo adequado das práticas culturais com ênfase em poda, este ministrado pelo consultor Sérgio Godoy.

A Produção Integrada de Frutas (PIF), ponto focal da capacitação, é um selo que garante a realização da produção com boas práticas, como cultivo correto, condições trabalhistas, não agressão ao ambiente e uma série de regras específicas exigidas pelo setor.

Agricultura familiar – Enquanto a Citrosuco e a Citrovita, duas das maiores empresas produtoras de laranja de São Paulo, se uniram par formar uma grande companhia, o cultivo da fruta em Alagoas caminha na direção contrária e aposta na agricultura familiar para a ampliação da produção.

“É possível que essa fusão em São Paulo gere um monopólio, o que é prejudicial a qualquer atividade no que diz respeito à distribuição de renda. Mas aqui no Estado a realidade é bem diferente, a produção de laranja é exclusiva dos pequenos produtores, que vêm sendo capacitados através do arranjo, para competir no mercado, o que tem dado certo”, afirma o coordenador do PAPL pela Seplan, Mário Alberto Paiva.

Bolos, sucos, doces são alguns dos produtos feitos da laranja lima tipo mimo do céu, fruta de coloração amarelada e sabor doce, diferente da laranja pêra, que tem a acidez como característica marcante.

A mais recente inovação na produção da laranja mimo do céu é a produção de suco, que deve ser patenteado por Antônio Carlos Souza, um dos produtores do APL, que também preside a Cooperativa dos Produtores de Laranja Lima da Santana do Mundaú.

Apesar de ser o terceiro maior produtor do Nordeste, grande parte da laranja lima produzida no Estado de Alagoas é exportada para Pernambuco. “É uma questão de cultura, o povo alagoano acha que a laranja lima é uma fruta para crianças e pessoas doentes. Mas o suco está muito bom e quando for comercializado pode ajudar a mudar esse quadro”, completa o coordenador do PAPL, Mário Alberto Paiva.

Os textos veiculados pela Agência Sebrae de Notícias podem ser reproduzidos gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da agência. Para mais informações, os jornalistas devem telefonar para (61) 3243-7851 ou 3243-7852, no horário das 10h às 19h.

Fonte: http://www.agenciasebrae.com.br/noticia.kmf?canal=36&cod=10036179&indice=320