Notícias

Canaoeste e Basf firmam parceria para transferir tecnologia de monitoramento via satélite aos canaviais

05/09/2013

O objetivo é quantificar áreas e otimizar recursos como insumos e mão de obra; para isso será utilizado o serviço recém-apresentado ao mercado canavieiro, o Harpia

Para auxiliar o produtor de cana-de-açúcar a mapear e gerenciar o seu canavial, a BASF e a Canaoeste firmaram no dia 2 de agosto na sede da associação em Sertãozinho, uma parceria que fornecerá acesso ao serviço Harpia a mais de 200 produtores associados da Canaoeste. A tecnologia da BASF permite quantificar as áreas dos canaviais com falhas e baixo índice de biomassa, além de melhorar o gerenciamento do uso de fertilizantes, defensivos agrícolas e de mão de obra. A primeira etapa da ação prevê o monitoramento de 30 mil hectares em 20 municípios da região de Bebedouro.

“Um dos compromissos da BASF é buscar soluções de forma assertiva para recuperar os canaviais e aumentar a produtividade e qualidade da lavoura. O acordo com a Canaoeste reforça essa visão”, afirma Marcelo Ismael, diretor de Negócios Especialidades da BASF para o Brasil. O Harpia é um sistema que captura imagens via satélite convertendo-as em um mapa georreferenciado que permite um monitoramento mais eficiente dos canaviais. Uma de suas principais vantagens está no fato de oferecer informações de toda a área analisada, de forma ampla e completa.

A Canaoeste é a primeira associação a receber a tecnologia Harpia. Até então, o serviço era oferecido apenas para grandes usinas. Para o presidente da Canaoeste, Manoel Ortolan, o setor necessita de novas tecnologias que aumentem a produtividade das lavouras. “O Harpia vai contribuir com isso”, destaca. Ainda segundo Ortolan, o serviço contempla os pilares ambiental, econômico e social da sustentabilidade. “O produtor passará a aplicar produtos apenas nas áreas em que realmente há necessidade, otimizando os custos de produção e melhorando sua renda. Assim, poderá gerir o seu negócio com inteligência e criatividade”, destaca o executivo.

Representantes e diretores da Canaoeste e da BASF participaram da cerimônia de assinatura do contrato, entre eles o presidente da Canaoeste, Manoel Ortolan e o diretor de Negócios Especialidades da BASF para o Brasil, Marcelo Ismael, que assinaram o contrato da parceria. O gestor técnico operacional da Canaoeste, Gustavo Nogueira e o coordenador de marketing cana, citros e amendoim da BASF, Fabrício Catissi fizeram as apresentações iniciais da reunião. O diretor da Canaoeste, Luiz Carlos Tasso Júnior fez uso da palavra para agradecer o empenho das equipes da BASF e da associação envolvidas com o projeto. “Só gostaria de agradecer o empenho das equipes já que a busca pela excelência e o comprometimento de todos neste projeto, com certeza irá nos ajudar a fortalecer ainda mais essa associação”, disse Tasso Júnior.

Após o encerramento do evento, Marcelo Ismael falou com a redação da Revista Canavieiros: “estamos felizes e muito satisfeitos em ter fechado essa parceria. Foram alguns meses de discussão para chegar à fórmula ideal, pois essa é uma parceria 100% perfeita de complemento e de conhecimento dos dois lados. A BASF desenvolveu a tecnologia do Harpia que é o georreferenciamento e o monitoramento através de um satélite das áreas para podermos entender quais são as áreas que têm um potencial produtivo maior e menor. Em parceria com a Canaoeste nessas áreas de menor potencial produtivo, o técnico da associação fará uma visita para identificar qual é o problema e porquê está apresentando o potencial de produção menor. Assim será possível fazer as recomendações e correções dessas áreas. Nossas perspectivas são imensas, um trabalho como esse abre portas para muitas outras tecnologias que podem vir, e podemos chegar a ter 100% da área da Canaoeste mapeada e mais importante, mapeada em detalhes, talhão a talhão onde o associado vai entender exatamente quais são as áreas em que está muito bem e quais as áreas dentro da propriedade que têm um problema e que precisa corrigir e ter ganho de produtividade”, disse Ismael.

Harpia
A tecnologia Harpia caracteriza-se por ser um serviço específico para atender demandas recorrentes sobre mensuração do desenvolvimento da biomassa ou de identificação de possíveis ocorrências de pragas e outros danos nas lavouras de cana-de-açúcar, através de imagens de satélite. Harpia integra-se à estratégia da BASF de fornecer não só produtos fitossanitários eficientes, mas uma gama completa de serviços que tenham como objetivo o aumento de produtividade, rentabilidade e, consequemente, da sustentabilidade das lavouras.

Fonte: Revista Canavieiros – ed. 86