Manejo

CANA DE AÇÚCAR DE ALTA RESISTÊNCIA E BOA QUALIDADE – SÍTIO DO CEDRO

ESCOLA ESTADUAL AGROTÉCNICA AFONSO QUEIROZ

SÍTIO DO CEDRO

 

 

CANA DE AÇÚCAR DE ALTA RESISTÊNCIA E BOA QUALIDADE – SÍTIO DO CEDRO

 

 

 

 

 

BÁRBARA STÉPHANE OLIVEIRA CHAGAS

DANIEL LUTYANNY VILAÇO VINHAL

LAURA CAROLINE ALMEIDA DE OLIVEIRA

LAYLSON BRUNO ROSA LIMA

LETICIA FERREIRA CAMPOS

LORENA BORGES SILVA

MAGELA JÚNIOR PEREIRA DA SILVA

MATHEUS HENRIQUE RODRIGUES ROSA

MATHEUS VIEIRA FRANÇA

MAYCON DOUGLAS DA SILVA

 

CANA DE AÇÚCAR DE ALTA RESISTÊNCIA E BOA QUALIDADE – SÍTIO DO CEDRO

 

Projeto de Trabalho realizado como requisito de avaliação no curso de Técnico Agrícola dos alunos da Escola Estadual Agrotécnica Afonso Queiroz de Patos de Minas – MG, desenvolvido no Sítio do Cedro em Carmo do Paranaíba – MG sob orientação de João Pedro Porto Bemfica e coordenação do Esp. Júnio Fábio Ferreira.

 

 

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO       ……………………………………………………………………………………………………04

2 OBJETIVOS            …………………………………………………………………………………………………..05

2.1 Objetivo Geral         …………………………………………………………………………………………………..05

2.2 Objetivos Específicos  ………………………………………………………………………………………………05

3 REFERENCIAL TEÓRICO ……………………………………………………………………………………..06

3.1 Alta Resistência ao Tombamento ……………………………………………………………………………….06

3.2 Combate as Pragas …………………………………………………………………………………………………07

3.3 Etiologia ……………………………………………………………………………………………………………..09

3.4 Digestibilidade  …………………………………………………………………………………………………….09

4 ADUBAÇÃO DE PLANTIO IDEAL DA CANA DE AÇÚCAR ……………………………………….11

4.1 Preparo do Solo …………………………………………………………………………………………………….11

4.2 Calagem …………………………………………………………………………………………………………….11

4.3 Espaçamento Apropriado ……………………………………………………………………………………….11

4.4 Profundidade de Plantio Apropriado ………………………………………………………………………….12

5 PROBLEMAS EXISTENTES NO SÍTIO DO CEDRO …………………………………………………13

6 QUEBRA VENTOS ………………………………………………………………………………………………16

6.1 É hospedeira de pragas?  ………………………………………………………………………………………..16

6.2 Como plantar bananas: Clima e Solo …………………………………………………………………………16

  • Quantidade para cercar 10 hectares de cana? …………………………………………………………..17

6.4 Onde conseguir com baixo custo e qual melhor espécie? …………………………………………………17

6.5 Mais conteúdos sobre o tema ………………………………………………………………………………….17

  • …………………………………………………………………………………………………………………..19
  • ONDE ADQUIRIR; CONTATOS E CUSTOS …………………………………………………….20
  • CONCLUSÃO ………………………………………………………………………………………………23

REFERÊNCIAS …………………………………………………………………………………………………….24

 

 

1 INTRODUÇÃO

O Brasil é, há muito tempo, um grande e tradicional produtor de cana-de-açúcar. Essa matéria-prima permitiu ao País tornar-se o maior produtor e exportador mundial de açúcar e desenvolver o mais bem sucedido programa de produção e uso de biocombustíveis da atualidade.

A importância da cana de açúcar pode ser atribuída à sua múltipla utilização, podendo ser empregada in natura, sob a forma de forragem, para alimentação animal, ou como matéria prima para a fabricação de rapadura, melado, aguardente, açúcar e álcool.

Atualmente a cana de açúcar é utilizada para diversas funções em propriedades rurais, silagem, produção de açúcar, alimentação de rebanhos, entre outros. Por se tratar de cana de açúcar, nos deparamos com alguns problemas como tombamentos, pragas, profundidades e espaçamentos de plantio.

No entanto, o presente trabalho trata-se de uma pesquisa abrangente para possível solução desses problemas. Este projeto tem como objetivo encontrar uma cana de açúcar de alta resistência ao tombamento e de boa qualidade, observando também a sua digestibilidade e adubação ideal. Precisamos encontrar um tipo de cana de açúcar que durante o seu ciclo de crescimento esteja saudável e intacta com destino a alimentação do gado.

Este projeto sera desenvolvido no Sítio do Cedro que é uma propriedade situada em Minas Gerais, no município de Carmo do Paranaíba. Tem uma área total de aproximadamente 100 hectares, dos quais 61 são dedicadas a produção volumosas e grãos, 20 hectares são ocupadas por açudes, matas e reservas (legal e permanente), 5 hectares sao destinadas a pastagem de tifton 85, e 6 hectares sao destinadas a manejo de rebanho. A identidade do Sítio do Cedro é dada por sua Missão e Crença/Valores. Para realizarmos este projeto, pesquisaremos em livros, internet, visitaremos o Sítio do Cedro, procuraremos ajuda de profissionais e com uma junção de tudo isso pretendemos levar ao proprietário do Sítio do Cedro uma cana de açúcar ideal que possa atingir seus objetivos com menor custo possível, de boa qualidade, e boa digestibilidade para seu rebanho.

 

 

2 OBJETIVOS

 

2.1 Objetivo Geral

 

Renovar três hectares de cana de açúcar de alta resistência ao tombamento e boa qualidade no Sítio do Cedro.

 

2.2 Objetivos Específicos

 

Desenvolver técnicas de combate a pragas;

Adquirir uma adubação de plantio ideal;

Desenvolver o plantio de uma cana de açúcar de boa digestibilidade;

Conhecer a profundidade e o espaçamento para o plantio da cana de açúcar;

Trabalhar em equipe para obter melhores resultados.

 

 

3 REFERENCIAL TEÓRICO

 

3.1 Alta Resistência ao Tombamento

 

A escolha por determinada variedade de cana de açúcar para a inserção em um sistema de produção de ruminantes deve seguir discernimentos técnicos e econômicos, principalmente pelo fato desta ser uma planta semi-perene, podendo estar presente dentro da propriedade por período igual ou superior a quatro anos.

Dessa forma, devem-se priorizar variedades que apresentam alta produtividade, alto teor de sacarose, baixos teores de fibra, ”resistência ao tombamento”, resistência a pragas e doenças, despalhamento facilitado, adaptabilidade às condições endolinfáticas da região e boa digestibilidade da fração fibrosa.

Uma vantagem para os pecuaristas na escolha da variedade a ser inserida em sua propriedade é que as características apresentadas acima, em sua maioria também são as mesma desejadas pela indústria, sendo somente a maior digestibilidade da porção fibrosa de interesse para o pecuarista e não para a indústria.

  f1

 

 

3.2 Combate às Pragas

 

Algumas espécies de praga, podem causar prejuízos intensos, com reduções significativas na produtividade da cana de açúcar. A praga presente nos plantios anteriores feitos no Sítio do Cedro é a ferrugem alaranjada, que é causa pelo fungo PucciniaKuehnii, e é considerada como uma praga Quarentenária Ausente ou A1, isto é, praga não presente no país. Porém, ela possui características de um potencial causador de danos econômicos, já que afeta as folhas da cana de açúcar reduzindo a capacidade de fotossíntese da planta e, em consequência, a produção de sacarose, a ferrugem alaranjada é uma doença disseminada pelo ar.

f2

f3

 

f4

 

f5

 

 

3.3 Etiologia

 

Os sintomas iniciais são manchas cloróticas nas folhas mais jovens, progredindo rapidamente para lesões que se rompem formando as urédias e que são chamados comumente de pústulas, observadas comumente na face inferior da folha. Em variedades altamente e suscetíveis às lesões evoluem rapidamente e coalescem causando a necrose das folhas. As urédias são hipófilas (parte inferior da folha ou abaixial) e, às vezes, anfigenos com até 4 mm, podem ser observados na folha protuberância de coloração laranja e castanho avermelhado. Progressivamente, as pústulas abrem-se expelindo ou urediniósporos.

 

3.4 Digestibilidade

 

Composição de uma substância química, consumo da matéria seca, digestibilidade e comportamento ingestivo, são aditivos químicos e biológicos na ensilagem da cana de açúcar.

Esta composição da cana de açúcar pode ser alterada após a ensilagem,os aditivos aplicados na ensilagem não promovem alterações no consumo voluntário na ingestibilidade.

Uma pesquisa levantada nas ultimas décadas mostra a geração de gases de efeito estufa, que ocorrem devido a uma emissão de metano, produto final do processo fermentativo chamado de potente GEE.

Na busca por estratégias para diminuírem perdas nas diferentes dietas aditivas e manejos nutricionais precisa ser empregado um acompanhamento adequado. Portanto, o objetivo é avaliar os efeitos aditivos alimentares, tanino, sobre a produção de metano ruminal e sobre os parâmetros da fermentação, onde a digestibilidade deve aparecer total. O ensaio desta digestibilidade foi constituído por uma fase sendo que os cinco primeiros dias são destinadosàadotação. Para cada período experimental, os últimos seis dias são destinados para coleta de dados do consumo de matéria seca.

 

4 ADUBAÇÃO DE PLANTO IDEAL DA CANA DE AÇÚCAR

 

4.1 Preparo do Solo

 

Para uma boa formação, produtividade e longevidade do canavial, são fundamentais preparos cuidadososcom o solo, pois a cana de açúcar é multiplicada por mudas que são distribuídas em sulcos. Neste sentido, observa-se que em um solo adequadamente preparado, produz os seguintes benefícios a cana de açúcar:

– Maior contato dos toletes com o solo, proporcionando melhor aproveitamento de calor e umidade, resultando em maior percentagem de brotação

– Sistema radicular profundo e abundante, com maiores possibilidades de aproveitamento de nutrientes e água.

– Menos incidência de plantas daninhas que reduz e torna eficiente seu controle por meio de métodos mecânicos e, ou químicos.

Com relação ao preparo do solo, deve-se realizar uma aração profunda para descompactar o solo e incorporar material vegetal.

 

4.2 Calagem

 

Em solos que apresentam pH baixo e de deficiência de cálcio e magnésio a aplicação de calcário é necessária, pois  a cana é exigente em fósforo e potássio. E estes minerais para serem bem aproveitados pelo vegetal, o pHdo solo deve apresentar em torno de 6,5 sendo que a dosagem de calcário deve ser determinada em função dos resultados da análise do solo.

4.3 Espaçamento Apropriado

 

O espaçamento atualmente usado varia de 1 a 1,60 metros. Pesquisas feitas demonstram que ha uma tendência de aumento de produtividade à medida que se diminui o espaçamento. Além de permitir uma cobertura mais rápida do solo, o menor espaçamento também ajuda no controle do mato.

O espaçamento também está relacionado com a fertilidade do solo e com a área de plantio a ser ou não irrigada. Sendo assim, em solos mais férteis ou solos irrigados, o produtor pode aumentar o espaçamento, na faixa de 1,40 a 1,60 metros. Em solos mais pobres, deve ser plantada com um espaçamento de 1 a 1,30metros, essa medida também muda conforme a bitola  do trator e os implementos do plantador.

A cana cultivada com menor espaçamento apresenta outra vantagem, o fechamento mais rápido, resultando na economia da manutenção.

 

4.4 Profundidade de Plantio Apropriado

De acordo com os profissionais, a produção é praticamente a mesma com 10, 20 e 30 cm. Pode-se observar um pequeno aumento com o plantio a 20 ou 30 cm. Na profundidade de 40 e 50 cm, a produção é menor. Mesmo em terrenos bem preparados, com aração profunda, plantios a 40 cm ou mais, apresentam problemas com o decorrer das chuvas, em quemuita terra cai sobre as mudas, dificultando a brotação das gemas, assim, provocando falhas e atrapalhando a produção.

Plantios muito rasos, menor que 20 cm, tem uma fixação fraca no solo, facilitando o tombamento, além disso, a brotação da cana será muito superficial causando prejuízos na produção.Sendo assim, a profundidade do plantio deve ser de 25 a 30 cm.

 

5 PROBLEMAS EXISTENTES NO SÍTIO DO CEDRO

 

  • Formigueiros;

 

f6

 

 

  • Buracos de Tatu;

 

 f9

 

 

 

  • Ferrugem Alaranjada;

 f8

 

 

  • E o tombamento, sendo um dos principais problemas.

f9

 

 

 

f10

 

 

  

6 Quebra ventos: Bananas como proteção contra o vento

 

6.1É hospedeira de pragas?

 

No Brasil, cerca de 78 espécies de insetos de diversas ordens têm a bananeira como planta hospedeira. Algumas são esporádicas e regionais, outras ocorrem com maior frequência, mas em níveis populacionais baixos, sem causar danos econômicos, e poucas requerem a adoção de medidas de controle.

Citaremos uma de varias espécies de pragas que podem ser encontradas em cultivos de banana no Brasil.

Broca-do-rizoma: a broca-do-rizomaCosmopolitessordidusé a principal praga, que é encontrada praticamente em todas as áreas onde se cultiva esta planta, e apesar de provocar grandes perdas na plantação, sua presença na cultura pode inicialmente, não ser notada, pois seus danos somente são visualizados quando a planta é arrancada. A broca-do-rizoma ataca somente plantas do gênero Musa, banana (Musa spp.). As larvas são responsáveis pelos danos diretos, em decorrência das galerias por elas produzidas no rizoma, as quais debilitam a planta, além de torná-la mais suscetível à penetração de organismos patogênicos. Os sintomas de ataque das larvas manifestam em forma de amarelecimento, posterirormente a seca das folhas e morte da gema apical, em plantas jovens. Verifica-setambém, maiorsuscetibilidadeaotombamento da planta.

 

 

6.2 Como plantar bananas: clima e solo

 

Propagação–

  • Retirarmudas de bananeiras livres de nematoide, broca ou mal-do-panamá.
  • Escalpelartoda a parte escura do rizoma e emmudas“filhote”,eliminar as raízesvelhas. No caso de aquisição de mudas produzidas por biotecnologia, exigir garantia quanto ao percentual máximo de ocorrência de mutação soma clonal.No plantiopodem-se empregar mudas em pedaços de rizomas ou rizomas inteiros. Quanto mais leve a muda, mais tempo para frutificar.Mudas produzidas por biotecnologia são mais precoces e perfilham mais.
  • Colocarpouca terra sobre a mudaporocasião da primeiracapina ecompletar o fechamento da covaousulco.Dispondo de irrigação, o plantio pode ser feitotodo o ano,porém, semirrigaçãopreferir o início da estação das chuvas.No caso de mudas obtidas a partir de cultura de tecidos, plantá-las diretamente no campo somente se houver boas condições de umidade.
  • Evitar o plantio em épocas com temperaturas menores que 15ºC.

Espaçamento

Cultivares de porte baixo ou médio: 2 x 2m ou 2 x 2,5m;

Porte alto: 2 x 3m ou 3 x 3m.

 

Mudas necessárias

Porte baixo ou médio: 2.000 ou 2.500 mudas por hectare; porte alto: 1.111 ou 1.333 mudas por hectare.

 

Covas

  • x 30 cm ou sulcos em nível com 30 cm de profundidade.

 

6.3 Quantidadespara cercar 10 hectares de cana

 

A quantidade necessária é de aproximadamente 12 mil mudas por hectare, totalizando 120.000 mudas para cercar o canavial.

 

6.4 Onde conseguir mudas com baixo custo e qual a melhor espécie?

 

A EMATER oferece o menor custo da banana prata anã. Que vai ser uma dasmelhores espécies a ser utilizada como quebra-ventos.

 

6.5 Mais conteúdos sobre o tema

 

Desfolha:

Consiste em eliminar as folhas secas ou dobradas, ou mesmo aquelas que estejam encostadas nos frutos. O corte é feito de baixo para cima, rente ao pseudocaule. Dependendo da altura da planta, são usados: faca, facão ou foice com cabo longo.

Eliminação do “coração”

Após a abertura de todas as flores, eliminar o “coração”, quebrando-o ou cortando-o 15 cm abaixo da última penca. Realizar esta operação a cada 15 dias. Enquanto a altura da planta permitir, usar as próprias mãos para eliminá-lo.

Reforma do Bananal

Efetuar reformas periódicas nos bananais. Um indicador de ordem prática do momento em que o bananal exige uma reforma é a inexistência de neto quando da colheita da mãe.

Outros Tratos Culturais

 

Manter o solo sempre limpo, com capinas manuais ou com herbicidas em jato dirigido. Em terrenos declivosos, fazer somente roçadas ou usar herbicida de contato. Não empregar cultivares em bananais com mais de 1m de altura. Escorar os cachos em bananais com raízes fracas ou em áreas sujeitas a ventos fortes.

 

 

7 METODOLOGIA

 

Para melhor desenvolver o nosso projeto, precisávamos conhecer o Sítio do Cedro, colher amostras de solo, conhecer a cana e os problemas visíveis como cupins, plantas daninhas, formigueiros entre outros. No entanto, no dia 09/08/2014, visitamos o Sítio e registramos os problemas citados acima. Notamos uma grande quantidade de cupins, buracos de tatu, plantas daninhas, tombamento, formigueiros e manchas brancas e ferrugem nas folhas. Pesquisamos bastante sobre esses problemas e procuramos saber como solucioná-los. Para chegarmos a uma cana adequada, pesquisamos também sobre combate de pragas, uma cana resistente ao tombamento, adubação e plantio ideal, espaçamento e profundidade, e será realizada uma análise de solo para detectar as deficiências do solo, o PH, as alterações e para verificar se o solo está adequado para o plantio da cana de açúcar. Ao final desse trabalho, pretendemos ter todos os problemas solucionados e ter uma cana adequada e resistente.

 

 8 ONDE ADQUIRIR, CONTATOS, CUSTOS

 

O cultivar escolhido foi encontrado na Destilaria Maison Leblon, Ltda. Localizada na rodovia BR 365 km 414,8 em Patos de Minas, MG Brasil.

No qual o telefone para contato é: (34) 9145-2700

 

CUSTOS

Para descobrirmos os custos, tivemos que seguir esses 3 aspectos para fazer os seguintes cálculos e chegar a uma conclusão.

Área a ser plantada: 3 ha

Espaçamento entre linhas: 1,30 m

Comprimento de linha: 300 m

 

Então,

300 ÷ 1,30 = 230 linhas

230 x 300 = 69.000 metros lineares

 

Comprimento da cana (1,80 m) ÷ plantio intercalado (uma cana na sequência da outra, sempre pé com ponta).

1 – 1,80

x – 69000

1,80x = 69000

x = 69000÷ 1,80

x = 38.333

 

Serão necessárias 38.333 canas para plantar toda a área (lembrando que essa quantidade varia de acordo com o tamanho da cana. Estes cálculos foram feitos com medidas de comprimento da cana de 2 metros).

 

Levando em consideração, uma cana pesando 1 kg:

1 – 1

38.333 – x

x = 38.333 kg

 

Com cada cana pesando 1 kg, serão necessários 38.333 kg para plantar toda área.

 

Preço por tonelada: R$100,00

Serão necessárias 38,4 toneladas.

 

1 – 100

38,4 – x

x = 3.840

 

O custo total apenas com mudas será de R$3.840,00 (lembrando que será esse custo se cada cana pesar 1 kg).

 

Levando em consideração, uma cana pesando 1,5 kg:

1 – 1,5

38.333 – x

x = 57.499 kg

 

Com cada cana pesando 1,5 kg serão necessários 57.499 kg para plantar toda a área.

 

Preço por tonelada: R$100,00

Serão necessárias 57,5 toneladas.

 

1 – 100

57,5 – x

x = 5.750

 

O custo total apenas com mudas, será de R$5.750,00 (lembrando que será esse custo se cada cana pesar 1,5 kg).

 

Levando em consideração, uma cana pesando 2 kg:

 

1 – 2

38.333 – x

x = 76.66

 

Com cada cana pesando 2 kg serão necessários 76.66 kg para plantar toda a área.

Preço por tonelada: R$100,00

Serão necessárias 76,7 toneladas.

 

1 – 100

76,7 – x

x = 7.670

 

O custo total apenas com mudas será de R$7.670,00 (lembrando que esse custo será se cada cana pesar 2 kg).

 

 

9 CONCLUSÃO

 

Pela observação dos aspectos analisados nos estudos e pesquisas feitas durante este projeto, tínhamos como objetivo renovar três hectares de cana-de-açúcar, pesquisando e analisando um cultivar com alta resistência ao tombamento, não deixando que pragas atrapalhassem na boa digestibilidade do gado, já que a cana irá ser destinada para o fornecimento natural, levando em consideração um grande rendimento de toneladas por hectare, precisaríamos de um número exato sobre o espaçamento e profundidade para saber qual seria a melhor adubação para o plantio ideal.

Concluímos então que o cultivar que melhor se adaptará no Sitio do Cedro é o RB867515; uma vez que este é resistente ao principal problema que é o tombamento. Se este cultivar for escolhido, o maquinário usado poderá ser até mesmo o que se encontra no Sitio do Cedro, cortando assim, gastos com o transporte até o Sitio. O custo deste cultivar varia de R$3.840,00 até R$7.670,00 dependendo do peso da cana.

Portanto, esperamos ter concluído nosso projeto com sucesso, desde já, agradecemos ao proprietário Sr. Mário Porto, ao seu zootecnista, ao funcionário João Pedro, juntamente ao nosso professor Júnio Fábio por ter nos dado essa grande oportunidade para solucionar o problema apresentado no inicio do projeto.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

EVANGELISTA, Antônio Ricardo& LIMA, Josiane Aparecida de. Silagens – do cultivo ao silo. Editora UFLA

Livro:

Silagens – do cultivo ao silo Autores: Antônio Ricardo Evangelista                                                               Josiane Aparecida de Lima. Editora UFLA

http://www.biologico.sp.gov.br/docs/dt/ferrugem_cana.pdf (acesso em 05/08/14 às 20hs)

http://ruralpecuaria.com.br

http://www.gestaonocampo.com.br

 

“O SITIO DO CEDRO NÃO SE RESPONSABILIZA SOBRE AS OPINIÕES/SUGESTÕES DOS TRABALHOS. FAVOR CONSULTAR SEU AGRÔNOMO/VETERINÁRIO/ZOOTECNISTA ANTES DE ADOTAR AS SUGESTÕES CONTIDAS NOS TEXTOS.”