biblioteca

Caminhoneiros mantêm protestos e fecham mais estradas no Paraná

24/04/2015

Protestos causam lentidão nas rodovias do estado desde quinta-feira (22).
Caminhoneiros exigem a fixação de um valor mínimo de fretes.

A sexta-feira (24) começou com mais pontos de bloqueio nas principais estradas do Paraná por causa do protesto de caminhoneiros – que exigem a fixação de um valor mínimo de fretes para a categoria. As manifestações ocorrem em outros estados brasileiros e ocorrem após uma reunião para discutir o assunto em Brasília e que terminou sem acordo.

Nas estradas estaduais, os caminhões estão liberando a passagem de carros e ambulâncias. Já nas federais, os manifestantes orientam os caminhoneiros a pararam nos postos de combustíveis às margens das rodovias. Às 6h40, havia lentidão em pelo menos cinco trechos em todo o estado.Confira abaixo os trechos onde ocorrem os protestos.

Na quinta-feira (23), muitos caminhoneitos foram forçados a parar em postos de combustíveis às margens de algumas rodovias no Paraná.

Em Medianeira, no oeste, motoristas disseram que manifestantes atacaram um caminhão a pedradas.

Logo após a reunião com representantes do governo federal e dos caminhoneiros, realizada em Brasília, na quarta (22), a Secretaria-Geral da Presidência informou que o tabelamento é impraticável devido a diferenças na qualidade das estradas e nos tipos de cargas transportadas.

Frete é negociado de maneira livre

De acordo com a Federação dos Transportadores Rodoviários Autônomos do Estado de São Paulo (Fecamsp), o preço do frete, hoje negociado de maneira livre entre contratante e contratado, caiu 37% em todo o país nos últimos cinco meses.

No dia 17 de abril, o governo publicou no “Diário Oficial da União” o decreto da presidente Dilma Rousseff que regulamenta a Lei dos Caminhoneiros, sancionada no início de março. As novas regras já estão em vigor em todo o país. Uma delas, que era reivindicação dos caminhoneiros, trata da isenção de pedágio para cada eixo suspenso de veículos que circularem vazios.

O texto estabelece ainda que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) defina critérios para medir a carga transportada em rodovias federais em 180 dias a contar do dia 17 de abril. Até lá, o decreto diz que “consideram-se vazios os veículos de transporte de carga que transpuserem as praças de pedágio com um ou mais eixos que mantiverem suspensos”.

Confira as rodovias estaduais com pontos de protestos até 6h40
PR-092 Km 27, Itaperuçu
PR-182 Km 460, Realeza
PRC-487 Km 296, Manoel Ribas
PRC-466 Km 180, Pitanga

Estradas federais
BR-163 – Barracão, km 7

Fonte: http://g1.globo.com/