Produtivo

Cafeicultores de Andradas, no Sul de Minas, valorizam mão de obra familiar e incentivam sucessão no campo

17/01/2017

Objetivo é melhorar a qualidade dos cafés produzidos e a motivar mais os jovens de Serra dos Lima

Preparar os jovens rurais para suceder os pais na lida com a terra e trabalhar em família fazem parte das prioridades dos cafeicultores de café arábica da Serra dos Lima, no município de Andradas, Sul de Minas Gerais. Produtores de cafés, atendidos pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), pais e filhos do lugar debatem o assunto nas reuniões da Associação de Moradores do Bairro Serra dos Lima.

No período da safra cafeeira, que vai de junho a setembro, a entidade beneficia em média 600 toneladas de café. “Produzir café em família é muito bom, porque todos se ajudam. E isso acontece tanto na colheita, quanto na secagem do produto no terreiro, quando a esposa, o filho, a filha e o genro ajudam”, argumenta o cafeicultor Pedro Crochiquio. Membro da Associação da Serra dos Lima, Pedro é um dos que defendem a ideia de preparar os filhos para que um dia assumam a responsabilidade de garantir a atividade cafeeira que, hoje sob a liderança dos pais, sustenta a propriedade.

A filha de Pedro, a jovem Michele Crochiquio, apoia o pai. “Hoje em dia a gente nem fala que é um trabalho produzir café com a família. A gente fala que é uma dádiva, porque além de trabalharmos juntos, estamos gerando lucro”, justifica.

Laiane Botelho, outra jovem rural, moradora do lugar, que recebe orientação da Emater-MG, revela também a vontade de dar continuidade, no futuro, à atividade dos pais. Ela se prontifica a aprender com eles a gerir a produção de café. “Nós ajudamos o nosso pai na lavoura, pois mais na frente, quando ele estiver idoso, vai ser bom pra mim e minha irmã”, argumenta.

Projeto

Com o objetivo de melhorar a qualidade dos cafés produzidos e a motivar mais os jovens de Serra dos Lima, a Emater-MG sugeriu o envio de um projeto para a Fundação Banco do Brasil. O desafio foi aceito e o projeto aprovado. Os recursos foram então investidos na montagem de uma sala de prova de café; uma máquina beneficiadora de café ambulante; um trator; uma balança de 150 gramas e uma máquina de café expresso.

A engenheira agrônoma do escritório da Emater-MG de Andradas, Maria Neuza de Amaral, acompanhou e orientou todo o processo. “ A gente elaborou o projeto e felizmente fomos contemplados. Hoje está em plena atividade. Avalio que, tudo isso tem contribuído para maior engajamento das famílias e maior inserção dos jovens dentro das discussões dos projetos produtivos. Os pais estão apoiando muito o projeto”, garante.

Mas o reconhecimento do resultado e o sucesso do projeto “Sucessão Familiar no bairro Serra dos Lima” não parou na sua implantação. Desenvolvido para valorizar e estimular a permanência dos jovens na atividade cafeeira, o trabalho foi o vencedor do prêmio MelhorAção de 2016. O prêmio é um concurso interno da Emater-MG que tem por objetivo valorizar o profissional da empresa e as iniciativas de boas práticas e melhorias na rotina da instituição. No total, foram premiados em dezembro, os quatro melhores trabalhos da Emater-MG, no Estado.

Fonte: Secretária de Agricultura e Pecuária MG