Custo de Produção

Café: Sicoob libera mais de R$ 80 milhões do Funcafé para produtores do ES

Publicado em 19/10/2015

O Sicoob Espírito Santo liberou neste ano mais de R$ 80 milhões para os cafeicultores do Estado. O volume de recursos, do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé), coloca a cooperativa mais uma vez à frente de outras instituições financeiras, conforme dados divulgados pelo Banco Central.

O Sicoob já apresentou-se como o maior operador do Fundo, em 2014, ao repassar R$ 163,6 milhões para os produtores, quase R$ 100 milhões a mais que o segundo colocado no ranking dos agentes financeiros do Funcafé. Em 2015, até setembro, foram distribuídos R$ 80,9 milhões pela cooperativa, enquanto os demais somam em torno de R$ 55 milhões.

O bom desempenho já demonstrado neste ano indica que a cooperativa deverá se manter na liderança, porque o maior volume de recursos é liberado agora, no último trimestre.

Estocagem

Os cooperadores têm à sua disposição essa verba, que é repassada pelo Ministério da Agricultura, para realizar desde o custeio, passando pela estocagem, até o processamento dos grãos do café.

 “O Fundo é o melhor meio de atender ao cafeicultor. Com esse recurso, o produtor é isento do IOF e, se houver uma variação abrupta nos preços do café, o fundo irá ampará-lo”, explicou Eduardo Ton, supervisor de produtos e serviços do Sicoob.

Essa é a razão para a cooperativa fazer um grande aporte ao Funcafé, pois acredita que o apoio dado aos cafeicultores propicia o desenvolvimento do meio rural. Há que se considerar que o Estado é um dos principais produtores do País (primeiro lugar em café conilon e, segundo, na colocação geral) e a parceria do Sicoob contribui para o crescimento da economia capixaba.

Financiamentos

Além de ser agente financeiro do Funcafé, o Sicoob ES tem linhas específicas para produtores rurais. Há modalidades para cobrir as despesas decorrentes da produção até a industrialização. As condições e os prazos variam de acordo com o retorno do empreendimento.

Para obter o financiamento, o produtor precisa ter a posse da propriedade e estar em dia com os impostos e as leis trabalhistas estabelecidas pelo governo federal. As garantias do contrato são negociadas conforme a operação a ser realizada.

“O crédito rural representa aproximadamente 25% do total da carteira do Sistema, com inadimplência praticamente zero. Os agricultores sabem que, pelo fato de o Sicoob estar mais próximo que outras instituições, entende a realidade da produção e desburocratiza o acesso a recursos importantes para o custeio das propriedades”, ressaltou o presidente da instituição financeira cooperativa, Bento Venturim.

Funcafé

Criado em 1986, o Funcafé visa apoiar as políticas públicas voltadas à cafeicultura, uma das principais atividades da agricultura brasileira. O País é um dos maiores produtores mundiais de café e, para 2015, a safra estimada chega a quase 45 milhões de sacas.

Fonte: Sicoob