Café

Café impulsiona faturamento de Minas

06/02/15
A menor oferta de café, provocada pelo longo período de estiagem registrado em 2014, aliada à nova ameaça de seca para a safra em 2015, tem contribuído para alavancar os embarques mineiros do grão. De acordo com os primeiros dados do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), somente na comparação de janeiro de 2015 com igual mês de 2014 foi registrado incremento de 62,87% no faturamento gerado com os embarques do café, principal produto do agronegócio mineiro.

Segundo o levantamento do Mdic, Minas Gerais movimentou com a negociação internacional de café US$ 382,1 milhões, valor 62,87% superior ao registrado em igual mês de 2014, quando o faturamento obtido foi de US$ 234,6 milhões. O resultado mantém a tendência de alta registrada em 2014, quando os embarques de café somaram US$ 4,11 bilhões, valor que ficou 32,25% superior aos US$ 3,1 bilhões movimentados entre janeiro e dezembro de 2013.

Em janeiro, o volume embarcado ficou praticamente estável ao registrado em janeiro de 2014, com pequena variação positiva de 0,28%. Ao todo foram destinadas ao mercado internacional 104,3 mil toneladas.

A valorização dos preços pagos pelo café, registrada desde meados de 2014, foi o pilar para que o faturamento gerado com as exportações se mantivesse em crescimento. Enquanto a tonelada de café em janeiro de 2014 estava avaliada em torno de US$ 2,5 mil, em janeiro deste ano o mesmo volume foi comercializado a US$ 3,6 mil, incremento substancial de 44%.

Quebra – Mesmo com a demanda em alta e uma nova previsão de quebra de safra em 2015, a média de preços pagos pelo café ao longo de janeiro ficou menor. A pressão veio das chuvas registradas no final do mês. A saca de 60 quilos que no dia 2 de janeiro era negociada a R$ 450,59 fechou o dia 30 de janeiro cotada a R$ 445,43, queda de 1,14%. No mês foi registrado preço máximo de R$ 499,34, no dia 12 de janeiro, e o mínimo de R$ 440,45, em 22 de janeiro.

Além do café, também foi verificado incremento nos embarques de carne de frango. O faturamento, US$ 18,8 milhões, ficou 19,86% superior aos US$ 15,1 milhões registrados em janeiro de 2014. Em volume, o aumento foi de 27,95% com a exportação de 11,9 mil toneladas frente as 9,3 mil toneladas embarcadas em igual mês de 2014.

Com o aumento das exportações de frango e uma oferta mais enxuta no mercado interno, os preços da ave viva em Minas Gerais valorizaram ao longo de janeiro. O quilo iniciou janeiro a R$ 2,30 e encerrou o mês cotado a R$ 2,55, aumento em torno de 9%.

Ao contrário do frango, as demais carnes encerraram o primeiro mês do ano com desempenho negativo. A maior queda nos embarques foi verificada nas exportações de carne suína. O faturamento recuou 58,62% somando US$ 2,4 milhões, frente aos US$ 5,8 milhões movimentados em igual mês de 2014. Em relação ao volume a retração ficou em 59,43% com o embarque de 759 toneladas.

As exportações de carne bovina caíram 41,37% o que fez o faturamento recuar de US$ 29,5 milhões, em janeiro de 2014, para US$ 17,1 milhões em igual mês de 2015. Ao todo, Minas Gerais embarcou 3,7 mil toneladas, retração de 42,18% frente às 6,4 mil toneladas destinadas anteriormente.