Variedades

Café: Futuros do arábica dão continuidade à volatilidade em NY, mas tentam manter altas

Publicado em 21/04/2015

 

O mercado internacional do café opera com ligeiras altas nesta terça-feira (21). Os futuros do arábica negociados na Bolsa de Nova York subiam, por volta das 10h20 (horário de Brasília), entre 15 e 65 pontos nos principais vencimentos, e com as primeiras posições acima do patamar de US$ 1,40 por libra-peso.

A semana começou com intensa volatilidade para os preços diante das incertezas que ainda rondam a safra brasileira, mesmo frente à proximidade da colheita da nova temporada. Por outro lado, a demanda ainda dá sinais fortes de crescimento, o que tem sido um importante fator de suporte para as cotações.

Para o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, a semana no mercado cafeeiro começa de forma lenta e no Brasil em ritmo de feriado ou final de semana prolongado. “As bolsas operaram em estreitas margens sem indicar tendência firme de curtíssimo prazo e desta forma, não teve forças para impor ritmo novo as negociações”, diz o analista.

Veja como fechou o mercado nesta segunda-feira:

Arábica fecha praticamente estável nesta 2ª feira em Nova York após intensa volatilidade durante sessão

Nesta segunda-feira (20), os futuros do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) fecharam praticamente estáveis após registrar intensa volatilidade durante quase todo o pregão e variar nos dois campos.

O mercado nas últimas sessões tem oscilado bastante buscando sustentação em um período que se aproxima a colheita de café no Brasil e ainda restam dúvidas com relação a produção do principal produtor de arábica no mundo. A demanda, por sua vez, não para de crescer.

Hoje, o vencimento maio/15 encerrou o pregão com 138,70 cents/lb – estável, o julho/15 anotou 141,25 cents/lb com 15 pontos de recuo e o setembro/15 registrou 143,25 cents/lb com 5 pontos negativos. Já o dezembro/15 registrou 147,65 cents/lb com avanço de 10 pontos.

Para o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, a semana no mercado cafeeiro começa de forma lenta e no Brasil em ritmo de feriado ou final de semana prolongado.

“As bolsas operaram em estreitas margens sem indicar tendência firme de curtíssimo prazo e desta forma, não teve forças para impor ritmo novo as negociações”, diz o analista.

Agências internacionais de notícias informam que a baixa do dólar contra o real no Brasil deu sustentação e promoveu a reação no final da sessão. A moeda norte-americana encerrou o dia com queda de 0,46% cotada a R$ 3,0273 na venda.

Ainda de acordo com agências, a bolsa norte-americana busca sustentação em um momento próximo da colheita no Brasil, principal produtor de arábica. Diante das estimativas recentes, os operadores só ficaram ainda mais em dúvida sobre a produção nesta temporada. Em contrapartida, a demanda não para de aumentar.

Vale lembrar que amanhã é feriado nacional do Dia de Tiradentes no Brasil. “Vários operadores não trabalharam hoje e assim, uma sensação de vazio tomou conta de tudo e todos. Amanhã, feriado no Brasil, haverá pregão nos terminais internacionais mas ao que parece, não devem trazer ao negócio café nenhuma variável nova capaz de mudar o perfil e o humor do mercado. Tenho a impressão que este resto de mês de abril que temos pela frente, deverá ser de ansiedade no limite já que o mercado está precificado, os preços sustentados e a liquidez será curta deixando, desta forma, os envolvidos de cabelo em pé”, explica o analista.

Mercado interno 

Segundo Magalhães, no lado interno um misto de ritmo de feriado e final de semana prolongado deve dar o tom da rotina cafeeira.

O tipo cereja descascado teve maior valor de negociação na cidade de Guaxupé-MG com R$ 521,00 – estável.

O tipo 4/5 teve maior valor de negociação também na cidade de Guaxupé-MG com R$ 539,00 – estável. A maior oscilação dentre as praças hoje foi em Varginha-MG com queda de 1,06% e saca cotada a R$ 465,00.

O tipo 6 duro teve maior valor em Franca-SP com R$ 490,00 a saca – estável. A oscilação mais expressiva no dia foi em Espírito Santo do Pinhal-SP com recuo de 2,22% e saca valendo R$ 440,00.

Fonte: Notícias Agrícolas