Variedades

Café de Rondônia é destaque em evento internacional na Expominas

01/10/2015

Durante a Semana Internacional do Café, realizada no período de 24 a 26 de setembro, na sede da Expominas, em Belo Horizonte-MG, os participantes tiveram a oportunidade de conhecer e degustar café de todas as partes do Brasil e do mundo. Conquistando cada vez mais o bom gosto dos baristas, Rondônia não poderia ficar de fora. A bebida ganhou notoriedade por ser da Amazônia e é 100% rondoniense.

O “Amazônia Coffee” – 1.º café gourmet da Amazônia é uma criação da Juninho Soft Café. A empresa, localizada em Cacoal, na região centro-sul do estado, marcou presença com um dos estandes mais movimentados do evento.

De Propriedade do empresário Bruno Assis, Juninho Soft Café é um novo conceito de sorveteria e cafeteria onde o que vale é a experiência e a inovação. A loja trabalha com produtos feitos artesanalmente e o café oferecido aos fregueses é exclusivamente rondoniense, adquiridos dos produtores da região.

Com a realização da Semana Internacional do Café, Bruno viu a oportunidade para mostrar seu produto ao mundo. Assim, levou o “Amazônia Coffee” para degustação e negócios do evento. “Pela primeira vez o café robusta 100% rondoniense esteve presente para degustação e negócios durante o maior evento da cafeicultura internacional”, diz Janderson Dalazen, gerente técnico da Emater-RO.

O estande foi um dos mais movimentos. “Todos queriam conhecer o café da Amazônia”, diz Janderson. Mas o mais importante foi saber que o café rondoniense estava sendo visto pelo mercado internacional.

Dentre os visitantes, duas certificadoras tiveram grande importância para uma nova empreitada do empresário. Em conversa com representantes da 4C Certification e da UTZ Certified, duas certificadores de renome internacional, Bruno compreendeu que o limite para expandir seu café estava na certificação do produto.

Janderson, da Emater, explica que a certificação é um grande entrave para quem quer vender o seu produto, principalmente para fora do país, e que o governo estadual, por meio das ações da Secretaria de Agricultura e da Emater tem buscado soluções para viabilizar a certificação do café de Rondônia.

Ele conta ainda que, quando do lançamento do Programa Café Sustentável em Rondônia em meados de julho deste ano, surgiu um documento norteador das ações com vistas à melhoria da sustentabilidade da cafeicultura tendo por base o tripé social, ambiental e econômico, chamado de Currículo da Sustentabilidade do Café (CSC). Esse documento trata dos temas centrais e fundamentais para a atuação em sustentabilidade, tanto do produtor quanto do extensionista, tornando-se uma referência comum para aplicação nas propriedades do café.

Outra ação que vem para contribuir para a entrada do café de Rondônia no mercado internacional é o compromisso firmado através da assinatura da Carta de Cooperação dos Serviços de Extensão do Brasil com o Programa Café Sustentável do IDH, assinada durante a Semana Internacional do Café. “Essa carta nos oferece uma somatória de ação que visa melhorar e certificar o café de Rondônia e nós já estamos trabalhando para isso.”

Para que Bruno possa certificar o seu produto é preciso que os produtores de café que comercializem o produto para ele também sejam certificados. A Emater já vem trabalhando nesse sentido e está organizando esses e outros produtores para que eles possam vender de forma diferenciada. Enquanto isso, a Juninho Soft Café, que hoje conta uma loja na cidade de Cacoal, está prestes a inaugurar uma filial na cidade de Porto Velho.

Fonte: Emater
Autor: Wania Ressutti

Fonte: Rondoniagora