Custo de Produção

Café: Bolsa de Nova York opera em baixa nesta 4ª feira e março/16 se aproxima de US$ 1,15/lb

Publicado em 18/11/2015

As cotações do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam com queda acima de 100 pontos nesta tarde de quarta-feira (18) e estendem as perdas da sessão anterior. O mercado ainda repercute um maior otimismo em relação à safra 2016/17 do Brasil, que pode atingir até 62 milhões de sacas de 60 kg. As condições climáticas mais favoráveis ao desenvolvimento das lavouras no cinturão produtivo brasileiro também acaba dando maior tranquilidade aos investidores.

Por volta das 12h20, os lotes com vencimento para dezembro/15 estavam cotados a 113,00 cents/lb com alta de 85 pontos, o março/16 tinha 116,85 cents/lb com avanço de 105 pontos. Já o contrato maio/16 registrava 119,15 cents/lb e 115 pontos positivos, enquanto o julho/16 anotava 121,00 cents/lb com valorização de 80 pontos.

Na sexta-feira (13), as cotações do café arábica no terminal norte-americano caíram cerca de 300 pontos após a trading cingapuriana Olam International estimar a safra de café do Brasil 2016/17 de 60 a 62 milhões de sacas. Com isso, os investidores ficaram mais tranquilos em relação ao equilíbrio entre oferta e demanda no mercado. Depois disso, nos últimos pregões, as cotações têm oscilado dos dois lados, mas praticamente estáveis.

A melhora nas condições climáticas do cinturão produtivo do Brasil, que tem favorecido o desenvolvimento das lavouras de café, também acaba dando maior segurança para os investidores. Nos próximos dias, com a chegada de uma frente fria, chuvas generalizadas chegam à região Sul e Zona da Mata de Minas Gerais, norte do Paraná, centro e oeste de São Paulo, além do Espírito Santo. As informações são da Somar Meteorologia.

Paralelamente, com a proximidade da notificação de entrega do contrato dezembro/15, a partir de amanhã (19), os participantes no mercado também rolam suas posições em aberto para o vencimento março/16, o que favorece a baixa. Na sessão de ontem, o contrato tinha em aberto 18.576 lotes, enquanto o março/16 registrou 102.370 com um total de 191.859 contratos em aberto.

No mercado físico brasileiro, os negócios com café seguem lentos e as praças de comercialização têm registrado curtas oscilações de preço. “A ansiedade geral está baseada em fatores climáticos e, desta forma, os negócios e seus desdobramentos ficam sendo colocados em segundo plano”, explicou o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães.

Na terça-feira (17), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, registrou queda de 0,26% e a saca de 60 kg está cotada a R$ 461,93.

» Clique e veja as cotações completas de café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas