biblioteca

Brasil negocia para entrar em novos mercados japoneses

Publicado em 19/10/2016

Segundo Blairo Maggi, país busca fechar acordos para vender frutas e carne bovina in natura ao Japão

Avançar nas negociações para produtores brasileiros entrarem nos mercados japoneses de frutas e carne bovina in natura. Este é um dos objetivos da visita oficial do governo brasileiro ao Japão, segundo o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi.

Blairo faz parte da comitiva que acompanha o presidente da República, Michel Temer, em viagem ao Japão. O presidente fica no país asiático até quarta-feira (19).

De acordo com o ministro, o mercado japonês tem grande participação na compra de soja, milho, algodão e outros alimentos brasileiros. Blairo explicou que o país quer participar de mercados mais sofisticados, como de frutas, processadas ou não.

“Queremos participar também do mercado de carne in natura”, relatou. “Estamos em negociações, são questões sanitárias e fitossanitárias, de reconhecimento do sistema japonês e do brasileiro.”

Para Blairo, até meados de 2017, o Brasil terá condições de aumentar sua partição em frutas e em bovinos no mercado japonês. “É um mercado importante e, além de crescer, queremos manter o que conquistamos”, afirmou.

Conversa com investidores

Segundo o ministro, o presidente Temer, nas viagens pela Ásia, tem procurado trazer aos governos e investidores a tranquilidade de que o Brasil vive um processo democrático, de respeito aos contratos e aos acordos feitos no passado.

“E claro que temos de olhar para o futuro, criar novos empregos e novas oportunidades”, observou o ministro. “Na agricultura, viemos dizer aos investidores que temos grandes volumes a serem transportados, que o Brasil cada vez mais cresce na área de produção de grandes commodities.”

Todo esse volume, disse Blairo, precisa chegar ao destino final. Por isso, o país precisa de investimentos em ferrovias, estradas, portos, hidrovias e toda uma infraestrutura que permita deslocar essas mercadorias.

Fonte: Mapa