Gerenciamento de Produção

Boro e silício potencializam ação de maturadores da cana

Juliana Royo
20/10/2010
Os maturadores são compostos químicos usados para antecipar a maturação de plantas, provocando o acúmulo de sacarose na cana-de-açúcar antes do tempo natural. Os maturadores são muito utilizados pelos produtores brasileiros para flexibilizar a época de colheita, permitindo que ela possa ser feita fora do período normal, que só iria de maio a meados de setembro. Porém, alguns maturadores provocam fitotoxidade na planta, não permitindo que ela se desenvolva na época de rebrota. Novos estudos mostram que a mistura de boro e silício aos maturadores pode ser benéfica para a cana-de-açúcar, porque além de evitar os problemas de fitotoxidade conseguem potencializar a ação dos produtos fazendo com que a maturação ocorra ainda mais cedo. Em geral, a cana pode ser colhida de 40 a 45 dias após a aplicação dos maturadores. Com o uso do boro ou silício, esse intervalo é reduzido para 35 dias, antecipando a colheita em até mais 10 dias.

— A cana-de-açúcar acumula sacarose em um período de estresse. No caso do Brasil, o principal estresse é a deficiência hídrica. Quando começa a finalizar a estação chuvosa, a partir de abril, a cana pára com o crescimento dela, porém continua fazendo fotossíntese. A partir desta época, o que ela faz de fotossíntese vira sacarose no colmo. No período das águas, como o dia é longo, com alta radiação solar, altas temperaturas e chuva, tudo o que a cana faz de sacarose é rapidamente quebrada metabolicamente e utilizada para fazer crescer raiz, mais colmo, novas folhas, entrenós. Quando o dia vai ficando mais curto, a intensidade de luz vai diminuindo, o crescimento da planta vai diminuindo. Se você chupar cana em janeiro ela vai estar aguada e se você chupar cana em junho ela vai estar bem adocicada. O correto de colher cana seria nos meses de junho, julho, agosto e setembro. Porém, a área de cultivo do Brasil é muito grande e nós temos necessidade de também colher desde março a até dezembro. Para isso, é preciso usar o maturador que freia o crescimento da planta e faz com que ela comece a acumular açúcar — esclarece o pesquisador Carlos Alexandre Costa Crusciol, professor da Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp.

Crusciol explica que o maturador com custo mais baixo no Brasil é o glifosato, só que ele pode provocar fitotoxidade na planta, atrapalhando o desenvolvimento da cana na rebrota. Isso causa prejuízos aos produtores porque diminui a quantidade de cortes possíveis no mesmo canavial e faz com que a renovação do canavial tenha que ser feita mais cedo. O problema é que o custo de implantação de uma nova plantação é muito elevado. A mistura do boro ou silício aos maturadores seria a forma mais eficiente de evitar que este problema ocorresse porque o boro é um nutriente que participa do metabolismo de acúmulo de sacarose e faz com que a cana mature com mais eficiência e o silício permaneça na planta após a colheita atenuando o efeito fitotóxico. Outra forma de reduzir o problema dos maturadores de glifosato seria misturando outros tipos de maturadores, um pouco mais caros, mas que não causassem fitotoxidade.

Crusciol é coordenador geral e um dos palestrantes do II Simcana (Simpósio Brasileiro sobre Ecofisiologia, Maturação e Maturadores da Cana-de-Açúcar), que acontece entre os dias 19 e 21 de outubro, na cidade de Botucatu, em São Paulo. Durante o evento, ele vai mostrar os resultados da mistura de boro e silício aos maturadores da cana-de-açúcar nos experimentos feitos nos municípios de Olímpia e Barra Bonita. Segundo o pesquisador, a linha de pesquisa ainda é inicial e precisa ser expandida para outras áreas do País, mas ele acredita que os bons resultados encontrados até agora se repitam em outras áreas e em diferentes tipos de clima e solo.

— Estamos utilizando dois quilos de silicato de potássio por hectare via foliar e um quilo de boro por hectare via foliar. Verificamos que a aplicação de silício associado ao maturador melhorou a eficiência do maturador, assim como o boro. Tanto em início quanto em final de safra. Isso refletiu em aumento de produtividade de açúcar por hectare. Aplicando maturador normal, sem a mistura, eu conseguiria ter o melhor resultado colhendo por volta de 40 a 45 dias a cana após a aplicação. Quando eu associei ou boro ou silício, eu consegui fazer a colheita com melhor resultado por volta dos 35 dias. Eu melhorei de cinco a dez dias a antecipação, em relação ao maturador normal — diz Crusciol.

Fonte: http://www.diadecampo.com.br/