Pecuária

Boi: Oferta restrita segue elevando valores na cadeia pecuária

20/02/2014

A oferta restrita, ainda consequência da seca em grande parte do Brasil e que tem degradado as pastagens, vem mantendo os preços em patamares elevados nos diversos elos da cadeia pecuária ao longo de fevereiro. Na quarta-feira, 19, o Indicador do boi gordo ESALQ/BM&FBovespa (estado de São Paulo) fechou a R$ 118,27, elevação de 0,54% em relação à quarta anterior e de 2,79% no acumulado do mês (até o dia 18 de fevereiro).

Nos últimos dois dias, porém, a pressão de compradores chegou a resultar em médias ligeiramente menores. Apesar das escalas de abate reduzidas, alguns frigoríficos não têm aceitado negociar nos patamares de preços vigentes. No mercado de reposição, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (animal nelore, de 8 a 12 meses, Mato Grosso do Sul) foi de R$ 889,23 nessa quarta-feira, alta de 0,9% em relação à quarta anterior e de 2,65% na parcial de fevereiro. Em relação ao atacado da Grande São Paulo, a carcaça casada bovina se valorizou 1% entre 12 e 19 de fevereiro, com o quilo do produto sendo cotado a R$ 7,79 no dia 19.

Fonte: Cepea/Esalq