Pecuária

Balde Cheio: programa é aposta para aumentar a produção de leite

15/10/13

 

Programas de apoio à produção de leite têm se tornado importantes aliados do produtor mato-grossense. O Estado é o principal produtor brasileiro de grãos, mas ainda enfrenta dificuldades para estimular a cadeia interna leiteira, porque falta assistência técnica e mesmo qualificação na atividade.

O ‘Balde Cheio’, desenvolvido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em parceria com outras instituições, ganhou espaço no Estado e virou aposta, ao atuar na transferência de tecnologia em propriedades familiares. Cerca de 500 produtores já são assistidos pela metodologia, conforme a instituição. Está presente em pelo menos 25 municípios.

Ao identificar os gargalos da atividade, o programa tem capacitado profissionais de extensão rural e produtores na adoção de tecnologias que permitam atacar as deficiências. “Assim que é feita avaliação da propriedade encontram-se diversos problemas, sendo a má alimentação dos animais o principal. Logo que este é corrigido, a nutrição será melhor e ele [bovino] terá uma lactação diária maior aumentado os rendimentos do negócio”, explica o engenheiro agrônomo Fernando Bueno, envolvido na execução do Balde Cheio em Mato Grosso.

Em 2012, a produção mato-grossense de leite totalizou 583 milhões de litros, segundo o IBGE. A unidade federada é a 8ª colocada no ranking dos maiores produtores, mas como enfatiza o gestor do Balde Cheio neste estado, Aureliano da Cunha Pinheiro, mesmo com os aumentos na produção do produto, a gestão nos negócios é desafio.

“O produtor precisa ter em mente que há necessidade de encarar a produção de leite como um negócio sério e lucrativo. O Balde Cheio quer mostrar ao criador a melhor maneira de como se fazer isso. Desta forma, melhoraremos nosso desempenho na produção nacional”, destaca o representante.

Nos municípios em que está presente, fazendas demonstrativas são utilizadas pelo Balde Cheio para demonstrar as técnicas para se produzir mais e melhor o leite, conforme explica ainda o técnico. Além de Mato Grosso, outros 23 estados brasileiros fazem parte do mesmo projeto, segundo a Embrapa Pecuária Sudeste.

Ao todo, 710 municípios e mais de 3.831 propriedades rurais, são contemplados. O número de unidades de demonstração chega a 563 e as propriedades assistidas 3.268.

Fonte: Agrodebate