Mamona

Balanço energético de ésteres metílicos e etílicos de óleo de mamona

A mamona (Ricinus communis L.) é uma das culturas eleitas pelos programas federal e estadual de biodiesel para fornecer matéria-prima para a produção do biodiesel, um biocombustível apontado com o renovável e menos poluente que o seu concorrente fóssil, o diesel. Neste estudo, realizou-se um balanço energético com base nos princípios da ACV e da Análise Output/Input, comparando-se a performance energética da mamona com duas culturas tradicionais na produção do biodiesel, a colza (Brassica napus) na Europa e a soja (Glycine max) nos Estados Unidos (EUA). O balanço energético (O-I) foi positivo em ambas as rotas de produção (metílica e etílica) e independente da alternativa de alocação de uso dos co-produtos. A relação Outuput/Input (O/I) calculada para o biodiesel de mamona (1,3-2.9) foi superior ao de colza (1,2-1,9) e inferior ao de soja (3,2-3,4), independente da rota e da alocação de subproduto utilizada. Os dois indicadores sugerem a viabilidade energética e ambiental do biodiesel de mamona, desde que se garantam produtividades agrícolas elevadas (acima de 1.500 kg/ha. ano). A potencialização dos efeitos ambientais e energéticos positivos depende do aproveitamento adequado dos co-produtos e resíduos do processo, da melhoria da eficiência energética no processamento da mamona e do biodiesel, e da implementação de manejos eficientes no uso dos insumos químicos (especialmente o N), responsáveis por até 65% do INPUT total de energia.

Fonte: biodieselbr.com