Pecuária

Avicultura: Simplicidade é segredo para expandir produção da proteína mais barata do mundo

12/09/2016

A afirmação é do entusiasta e produtor, Valmor Ceratto

“Enquanto existir ser humano, existirá avicultura, pois estamos falando da proteína mais barata do mundo. No Brasil, se consome 43 quilos per capita por ano, enquanto o mundo come menos de 20 quilos”. A afirmação é do entusiasta e produtor, Valmor Ceratto, que há mais de três décadas é avicultor no interior do Paraná e ministrou palestra ‘Gestão de Custos e Mão de Obra das Granjas’, no IV Encontro Técnico da Avicultura, em Sidrolândia, na última sexta, 09 de setembro. O evento foi realizado pelo Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS e a Avimasul – Associação dos Avicultores Integrados de MS e contou com a presença de mais de 250 pessoas.

Quando o assunto é técnico, o produtor sugere que se aplique o que ele chama de ‘princípio do quarto da gente’. “Diferente da maioria das granjas, que possui lona ou paredes escuras, o ideal é ter paredes brancas para refletir melhor a luz e cuidar da vedação, que é o detalhe mais importante do galpão. Saber quantos frangos foram abatidos, quantos quilos rendeu, por semana, mês e ano, ter o controle total de custos e lucros. Tudo isso permite entender o crescimento ou baixas em determinados momentos”, ressalta.

A atividade mais tecnificada do agro passa por constante evolução, mas a voz da experiência de Ceratto aposta que alguns simples ‘caprichos’ devem ser priorizados. “O setor se renova, mas atitudes simples ainda são as que mais geram resultados. Temos que pensar no bem-estar animal, mas também no conforto humano. Uma dica é a proximidade entre a casa e o galpão, ter plantas ao redor da granja além da limpeza do local e a aproximação entre o proprietário e os trabalhadores rurais”, explica Ceratto.

“Quando se fala em otimização dos recursos naturais, nenhum outro setor alcançou os indicadores que o frango conseguiu. Na região Centro-Oeste, mais especificamente em Mato Grosso do Sul, observamos que a expansão deste setor está associada a produção de grãos em abundância. O desafio é harmonizar a relação contratual entre produtor e agroindústria, tomando como base a sanção da lei de integração que começou a valer em maio”, explica o assessor técnico da CNA – Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil e da Comissão Nacional de Aves e Suínos, Victor Miguel Ayres.

Por falar em Novo Marco Legal dos Contratos de Integração, os instrumentos da Lei 13.288/2016  também foram debatidos no Encontro‘’. A palestra ministrada pelo consultor jurídico da CNA, Thiago Moreira de Carvalho, destacou a transparência dos contratos. “Antes existia o desequilíbrio entro o poder do produtor e da agroindústria e a falta de clareza. Agora temos instrumentos que vão garantir a segurança para os ambos os lados e a contratação segue a mesma regra de sempre, deve ser escrito, claro, preciso e lógico”, conclui Carvalho.

A programação do Encontro Técnico de Avicultura teve também a palestra do especialista em saúde animal, Paulo Roberto Pelissaro, que falou sobre ‘Impacto da Influenza Aviária no Comércio Internacional de Aves. Em seguida, o assistente técnico do COBB, empresa de genética avícola para frangos de corte, Guilherme Seelente, abordou o tema ‘Ações de manejo para melhorar os resultados de frango’. O evento foi promovido pelo Sistema Famasul e pela Avimasul – Associação dos Avicultores de MS e teve a participação de produtores e profissionais do segmento avícola e foi prestigiado por lideranças políticas e rurais.

Fonte: Agrolink