Notícias

Aurora aos 46 anos: Uma comunidade com 100 mil famílias

A Cooperativa Central Aurora Alimentos – o terceiro maior conglomerado industrial do setor de carnes do Brasil – chega aos 46 anos de fundação com uma marca formidável: tornou-se uma comunidade produtiva formada por mais de 100 mil famílias espalhada por 500 municípios brasileiros. Nesse cálculo estão os 25.652 colaboradores diretos da Aurora, as 70.670 famílias rurais cooperadas que formam a base produtiva no campo e os 8.951 colaboradores das 13 cooperativas agropecuárias que a constituem, totalizando 105.279 famílias.
Crescimento e expansão marcam as últimas décadas da cooperativa que obteve, em 2014, o maior faturamento e o melhor resultado líquido de seus 45 anos de história: com crescimento de 18%, a receita operacional bruta chegou a 6,7 bilhões de reais, enquanto as sobras inflaram 38% e atingiram 417,9 milhões de reais. Com uma margem líquida de 6,83%, a cooperativa respondeu por um dos melhores desempenhos do mercado brasileiro de proteína animal. A receita total foi 80% dela obtida no mercado doméstico e 20% no mercado internacional.
Em março deste ano, a Cocari Cooperativa Agropecuária e Industrial de Mandaguari (PR) passou a integrar o quadro social da Aurora que conta, agora, com 13 cooperativas filiadas. A Aurora assumiu o frigorífico/abatedouro de aves e a fábrica de rações da Cocari, localizados no município paranaense de Mandaguari. A unidade industrial de frango de corte abate 140 mil cabeças/dia, mas tem capacidade instalada de 180 mil/dia que será atingida, ainda neste ano, pela nova operadora.
A unidade de nutrição animal, por outro lado, processa 60 toneladas/hora de rações. O presidente Mário Lanznaster, reeleito neste ano para mais um mandato de quatro anos, ao lado de Neivor Canton (vice-presidente) e Marcos Antonio Zordan (secretário do Conselho e diretor de agropecuária), destaca que a orientação “é prosseguir investindo no aumento da produção e no desenvolvimento de novos produtos para permanecer entre as melhores companhias de alimentos do mundo.”
Em 2014, a cooperativa completou 45 anos de atividade e foi distinguida com os prêmios de Melhor empresa do setor de aves e suínos pelo ranking Melhores & Maiores da revista Exame; uma das 150 melhores empresas para trabalhar pela revista Você S/A; prêmio Top Ser Humano pela ABRH/SC na categoria gestão de pessoas; prêmio Ética nos Negócios, categoria agronegócios; Prêmio LIDE de agronegócio da indústria de alimentos do Fórum Nacional do Agronegócio; prêmio Empresa Cidadã da ADVB/SC na categoria ação comunitária; prêmio Outback de fornecedor do ano e prêmio responsabilidade social da Assembleia Legislativa de Santa Catarina.
Lanznaster assinala que, em razão de sua natureza cooperativista, a Aurora, ao tempo em que busca a eficiência produtiva e o sucesso econômico, cumpre importante papel social. A Fundação Aury Luiz Bodanese, seu braço social-assistencial, atende a missão de valorizar o ser humano e contribuir para o exercício da cidadania. Em 2014, atendeu mais de 167 mil pessoas por meio de 1.215 atividades desenvolvidas em todo o território nacional por nove programas: Amigo Energia, Atitude Agora,
Canto Coral, Centro de Memória, Roda de Leitura/Contação de história, Dança, Família é Tudo, Turminha da Reciclagem e Vivendo Saúde.
As atividades sociais e educativas são viabilizadas com recursos oferecidos pela Cooperativa Central, mantenedora da Fundação, e parceiros como o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop) de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, além de cooperativas e outras instituições.
TRAJETÓRIA
A Aurora nasceu, em 1969, da reunião de oito cooperativas de produção agrícola que perceberam a importância estratégica da conjugação de esforços, em grau superior, para superar a condição de fornecedor de matéria-prima a que estavam destinados os produtores rurais. As fundadoras foram a Cooperativa Mista Agropastoril de Chapecó, Cooperativa de Laticínios Chapecó, Cooperativa Mista Xaxiense, Cooperativa Mista Lajeado Grande, Cooperativa Agrícola Mista Regional Xanxerê, Cooperativa Mista de Palmitos, Cooperativa Agropecuária de São Carlos e Cooperativa Mista Modelense.
Ao organizar a produção e obter uma oferta em escala, a Coopercentral Aurora criou as bases para a industrialização da produção gerada pelos associados das cooperativas singulares filiadas. A determinação e o arrojo dos dirigentes cooperativistas – tendo à frente o pioneiro Aury Luiz Bodanese – permitiram construir uma estrutura agroindustrial capaz de absorver, transformar e conquistar mercado para essa produção. Em 1975, a cooperativa iniciou as atividades com suínos que atualmente contemplam o melhoramento genético, investimentos na produção de núcleos vitamínicos e minerais, rações e concentrados.
No ano de 1986 foi a vez das atividades avícolas. Na década de 1990, a Aurora inaugurou duas unidades de suínos: uma em Chapecó (SC) e outra em São Gabriel do Oeste (MS), como também uma unidade de aves em Quilombo (SC). Além disso, a área comercial com filial em São Paulo ganhou sede própria. No ano de 2000 foi inaugurada uma nova indústria de sucos modernizando assim o setor na região oeste de Santa Catarina. Em 2001, a empresa inaugurou uma unidade industrial com investimento de R$ 35 milhões, com o objetivo de industrializar 100% dos suínos abatidos.
Em 2002 inaugurou uma unidade para abater suínos em Joaçaba, que também absorveu o frigorífico da Cooperjacuí em Sarandi (RS), agregando assim mais rentabilidade para os produtores daquela região. As fábricas da Aurora trazem tecnologia, geram empregos e movimentam o mercado. A Aurora tem um compromisso permanente com o produtor, colaborador e o meio ambiente, por isso investe em programas que melhoram a qualidade de vida, as comunidades onde atua e garantem um futuro melhor. BASE PRODUTIVA Em 2007, a cooperativa iniciou a implantação da indústria de processamento de leite.
A planta industrial instalada à margem da BR-282 absorveu investimentos totais de R$ 180 milhões e foi inaugurada em 2 de julho de 2011. No ano de 2011, a cooperativa inaugurou a Unidade de Disseminação de Genes (UDG), no Distrito de Marechal Bormann, em Chapecó. Essa medida permitiu a concentração produtiva e operacional da produção de sêmen do complexo agroindustrial. Adotando o que há de mais avançado em genética suína, a UDG absorveu investimentos da ordem de R$ 2,3 milhões. Em outubro de 2012, assumiu as operações da indústria de aves da Bondio Alimentos, localizada na rodovia SC-283, no quilômetro 3, no município de Guatambu (SC). A Coopercentral inaugurou em agosto de 2012 a ampliação da unidade de abate e processamento de suínos de São Gabriel do Oeste (MS) que absorveu investimentos totais da ordem de aproximadamente R$ 100 milhões. No final de 2012, arrendou a unidade industrial de abate e processamento de aves pertencente à Massa Falida da Chapecó Companhia Industrial de Alimentos, localizada em Xaxim.
A cooperativa investiu 250 milhões de reais, em 2014, na modernização das plantas industriais, visando o aumento da produção para atender as demandas do mercado. Um dos principais investimentos (R$ 86 milhões) foi a reabertura do frigorífico Aurora de Joaçaba que teve sua capacidade de produção triplicada. Outras unidades que receberam investimentos foram Chapecó I (túnel contínuo e câmaras de equalização), Cunha Porã (armazéns de grãos), Guatambu (estações de tratamento de água e de esgoto) e São Gabriel do Oeste (linha de presuntos e apresuntados). A Aurora tem atuado também como difusora do conhecimento científico, assegurando o acesso do pequeno produtor aos avanços da pesquisa agropecuária.
A proteção econômica, a atualização tecnológica e a defesa política que a cooperativa proporciona ao seu universo de cooperados são faces da doutrina cooperativista. Graças ao cooperativismo, o campo incorporou novas tecnologias, diversificou as atividades, tecnificou a agricultura e outras explorações pecuárias, adquiriu mais máquinas e equipamentos, automóveis e utilitários, móveis e eletrodomésticos. O cooperativismo ajudou a levar a eletrificação rural a todos os recantos, garantiu assistência técnica em todas as propriedades rurais, proporcionou habitação e saneamento. Enfim, elevou a qualidade de vida da família rural.
UNIDADES
A Coopercentral Aurora Alimentos é um conglomerado agroindustrial sediado em Chapecó (SC) que pertence a 13 cooperativas agropecuárias, sustenta 25.000 empregos diretos e tem uma capacidade de abate de 18 mil suínos/dia, 1 milhão de aves/dia e um processamento de 1,5 milhão de litros de leite/dia. Mantém 42 estabelecimentos: oito unidades industriais de suínos, sete unidades industriais de aves, seis fábricas de ração, 13 unidades de ativos biológicos (incluindo granjas, incubatórios e unidade de disseminação de gens), oito unidades de vendas e a sede central (matriz). As unidades indústrias de suínos são: Indústria Aurora Chapecó (SC), Frigorífico Aurora Chapecó (SC), Frigorífico Aurora São Miguel do Oeste (SC), Frigorífico Aurora São Gabriel do Oeste (MS), Frigorífico Aurora Sarandi (RS), Frigorífico Aurora Chapecó II (SC), Frigorífico Aurora Erechim (RS) e Frigorífico Aurora Joaçaba (SC). As sete plantas para processamento de aves são: Frigorífico Aurora Maravilha (SC), Frigorífico Aurora Quilombo (SC), Frigorífico Aurora Erechim (RS), Frigorífico Aurora Abelardo Luz (SC), Frigorífico Aurora Guatambu (SC), Frigorífico Aurora Xaxim (SC) e Frigorífico Aurora Mandaguari (PR). As seis fábricas de rações são: Fábrica de Rações Chapecó, Fábrica de rações de Quilombo – Nutri III, Fábrica de Rações Nutricooper VI e Fábrica de Rações Nutricooper VII, Fábrica de Rações Erechim, Fábrica de Rações Cunha Porã e Fábrica de Rações Xanxerê. COOPERATIVAS A Coopercentral Aurora é um conglomerado agroindustrial sediado em Chapecó (SC) que pertence a 13 cooperativas agropecuárias: Cooperalfa (Chapecó/SC), CooperA1 (Palmitos/SC), Coopercampos (Campos Novos/SC), Copérdia (Concórdia/SC), Cotrel (Erechim/RS), Auriverde (Cunha Porã/SC), Cooperitaipu (Pinhalzinho/SC), Camisc (Mariópolis/PR), Coasgo (São Gabriel do Oeste/MS), Coopervil (Videira/SC), Cocari (Mandaguari/PR), Colacer (Lacerdópolis/SC) e Caslo (São Lourenço do Oeste/SC).
Fonte: Cooperativa A1