Notícias

Assembleia geral aprova retorno de R$ 12,5 milhões aos cooperados

10/03/2015

Uma cooperativa agropecuária sólida e gerando resultados ao quadro social, colaboradores e comunidade. As receitas globais da Cooper A1 no último exercício foram de R$ 815, 7 milhões, crescimento de 12.58 % em relação ao ano anterior. O balanço positivo do exercício 2014 foi apresentado pelo presidente da Cooper A1, Elio Casarin, na Assembleia Geral Ordinária (AGO), realizada no dia 6 de março, em Palmitos. A Assembleia, órgão superior da cooperativa, contou com a presença expressiva de cooperados de 17 municípios de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que aprovaram os números por unanimidade.
Desempenho –As sobras líquidas de 2014 chegaram a R$ 70,2 milhões. Depois das destinações legais e estatutárias, os cooperados decidiram pela capitalização e distribuição de R$ 12,5 milhões, na proporção da movimentação de cada um na cooperativa. As sobras foram disponibilizadas aos associados a partir do dia 6 de março nas unidades da Cooper A1. O ativo total atingiu o montante de R$ 679,4 milhões e o patrimônio líquido é de R$ 295 milhões. O índice de liquidez corrente ficou em 1,32 e o de liquidez geral em 1,03.
Balanço Social – A Cooper A1 encerrou 2014 com um quadro social composto por 7.966 cooperados. O número de colaboradores diretos alcançou 1.021. Com o quadro social, foram realizados mais de 150 eventos e programas técnicos, educacionais e socais. Já os colaboradores tiveram dezenas de cursos e eventos de capacitação, com destaque para treinamentos da área de segurança e saúde no trabalho.
Atividades econômicas – A diversificação dos negócios da Cooper A1, que atua com oito atividades econômicas – cereais, suínos, leite, aves, fábricas de rações, supermercados, lojas agropecuárias e postos de combustíveis – traz estabilidade econômica à cooperativa. Em praticamente todas as atividades houve crescimento neste período. Cereais – Em 2014, a Cooper A1 recebeu 244,9 mil toneladas de milho; 24, 6 mil toneladas de soja; 768 toneladas de feijão e 1,2 mil toneladas de trigo. Pecuária – Fora recebidos 59,3 mil toneladas de suínos; 69,8 mil toneladas de aves e 101,6 milhões de litros de leite. Indústria– a produção total de ração e farelo de soja processado, nas três fábricas da Cooper A1, chegou a 284, 4 mil toneladas. Bens de consumo – a Cooper A1 Supermercados, com uma rede de 15 lojas, teve um crescimento de 12,1% em relação ao ano anterior. A atividade de postos de combustíveis cresceu 10,3%. Já as lojas agropecuárias, atividade de maior faturamento da Cooper A1, teve receitas de R$ 228 milhões.
Investimentos – Cumprindo o compromisso em oferecer aos associados maior agilidade, qualidade e segurança nas operações, bem como manter a cooperativa competitiva e com infraestrutura adequada, a Cooper A1 investiu, em 2014, R$ 24,9 milhões com reformas, ampliações e melhorias em suas filiais. Entre os principais investimentos concluídos no último ano, e em andamento em 2015, estão: aquisição e reformas no posto de combustíveis em Caibi, SC; reformas e ampliação do supermercado e conclusão da construção do depósito da loja agropecuária em Descanso, SC; construção da unidade e posto de leite em Erval Seco, RS e construção da unidade de Vista Gaúcha, RS.
Estrutura – A Cooper A1 encerrou 2014 com 17 unidades administrativas; três fábricas de rações; 15 supermercados; 18 lojas agropecuárias; três postos de combustíveis; 10 unidades de recebimento de grãos; duas granjas de suínos e um posto de resfriamento de leite.
Conselho Fiscal – renovado A Assembleia Geral também foi o momento de apresentação e eleição do novo Conselho Fiscal, gestão de um ano. O Conselho Fiscal, órgão da cooperativa que tem o objetivo de fiscalizar a administração da sociedade, ficou assim constituído: efetivos: Francisco Revers – Belmonte Lino Nardi – Mondaí e Valdomiro Scheickert – Tunápolis. Suplentes: Vilmar Czis – Alpestre Adelar Peruzollo – Novo Tiradentes e Jacinta Mayer Lengert – Itapiranga.
AVALIAÇÃO 
Elio Casarin destaca que cooperativismo está promovendo desenvolvimento
 
 O presidente da Cooper A1, engenheiro agrônomo Elio Casarin, destacou que 2014 foi um bom ano para a agropecuária, e a cooperativa soube aproveitar as oportunidades. De acordo com ele, o ótimo desempenho da Cooper A1 em 2014 é fruto de uma gestão focada nos interesses do quadro social, participação ativa dos associados e comprometimento dos funcionários.
Segundo Casarin, a capitalização da Cooper A1 garante estabilidade, segurança e condições para atender com eficiência as necessidades do quadro social na condução de suas atividades, bem como gerar benefícios à região. “A Cooper A1 é uma entidade que, onde está inserida, promove a disseminação de tecnologia e desenvolvimento na produção agropecuária, gera empregos e impostos, taxas e contribuições”.
Casarin reforça que as sobras do faturamento, retornam aos associados e também são revertidas em investimentos. “É um ciclo de desenvolvimento econômico e social, possível graças a uma instituição que trabalha com seriedade e fortemente embasada nos princípios do cooperativismo”.
Fonte: Cooperativa A1