RJ: mercado cresce e incentiva pecuaristas

O crescimento da indústria de laticínios no Rio de Janeiro está incentivando pecuaristas a criarem mais gado leiteiro. Em dois anos, o governo estadual investiu R$ 153 milhões, gerou 3 mil novos empregos e, até 2014, a expectativa é abrir mais 20 mil postos de trabalho. Nesse período, a produção de leite saltou de 470 milhões de litros/ano, em 2007, para os atuais 600 milhões, e a meta é chegar a 1 bilhão de litros/ano até o fim dessa nova gestão.

Além da empresa Laticínios Bom Gosto, inaugurada este ano em Barra Mansa (RJ), outras empresas de médio e grande porte já se instalaram ou estão se instalando no estado. A Laticínios Marília inaugura até o final do ano seu parque industrial em Itaperuna (RJ). A Laticínios Grupiara, em Valença (RJ), no Sul do estado, está se expandindo e a CCA Alimentos está reativando um parque industrial que estava desativado há três anos, em Macuco (RJ), na região Serrana.

As empresas contam com os incentivos do Programa Rio Leite, que reduziu a carga tributária para a produção interna de leite, e os benefícios previstos na legislação estadual de ICMS concedidos às plantas industriais localizadas no território fluminense. E de outros programas, como o Rio Genética, que permite melhorar os plantéis leiteiros, oferecendo linhas de crédito para a aquisição de animais, embriões, sêmen, equipamentos e benfeitorias, com juros de 2% ao ano, e pagamento em até 60 meses.

O mercado lácteo no Rio movimenta cerca de U$ 2,4 bilhões por ano e ocupa aproximadamente 100 mil pessoas, entre 23 mil produtores e os demais envolvidos na produção rural e nas cadeias de industrialização e distribuição dos produtos. Atualmente, o estado possui 60 cooperativas e indústrias de leite e derivados de pequeno, médio e grandes portes.

As informações são do Diário do Vale (RJ), resumidas e adaptadas pela Equipe MilkPoint.

fonte: http://www.cileite.com.br/content/rj-mercado-cresce-e-incentiva-pecuaristas