Cadeia Produtiva

Apicultura: Mais de 170 pessoas se reúnem para debater sobre o setor no Estado

O Sebrae no Espírito Santo realizou, no dia 07 de dezembro, o III Encontro Estadual de Apicultores, uma oportunidade para promover integração e avaliar o desempenho do setor no Estado

Composta por palestras técnicas e motivacionais, a programação do evento teve como foco a capacitação e a integração de apicultores de diversos municípios do Estado.

O gestor do projeto Rede Apes no Sebrae ES, Adriano Matos Rodrigues, explica que o encontro – realizado sempre ao final de cada ano – é fundamental para integrar cada vez mais os apicultores do Estado e para fazer uma avaliação do que ocorreu nos meses que se passaram. “Durante o evento, são apresentados os resultados das ações planejadas no início do ano. Trata-se, na verdade, do fechamento daquilo que foi construído, além de ser um momento de capacitação, trazendo novidades para o apicultor e incentivando a integração”.

Além dos apicultores, participaram empresários e representantes de órgãos como a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Espírito Santo (Faes), o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e o Sistema Nacional de Aprendizagem Rural do Espírito Santo (Senar/ES).

O secretário de Agricultura do Estado, Enio Bergoli, o superintendente do Sebrae ES, Jose Eugênio Vieira, e a gerente da Unidade de Atendimento ao Agronegócio do Sebrae ES, Letícia Toniato Simões, também marcaram presença.

Na ocasião, José Eugênio comentou o crescimento do setor apícola capixaba, ressaltando a importância da renovação do compromisso entre apicultores, setores públicos e privados. “A Apicultura vem crescendo, a cada ano, no Espírito Santo. Isso se reflete na quantidade de mel que é vendida pelos apicultores para empresas locais e de fora do Estado. Para continuarmos crescendo, precisamos nos profissionalizar cada vez mais nessa atividade. Por isso, é muito importante o comprometimento de cada município, associação e apicultor com o Programa Apes”.

Letícia concorda: “Para que os avanços continuem, precisamos contar com o compromisso de cada município em integrar ativamente a Rede Apes, que monitora todas as ações de apicultura no Espírito Santo, realizando iniciativas voltadas para o desenvolvimento do setor”.

O Sebrae e Apicultura – O papel do Sebrae junto ao setor apícola consiste fundamentalmente em promover a organização da cadeia produtiva, buscando incentivar os apicultores a se reunirem em associativismo e cooperativismo.

A instituição também busca profissionalizar cada vez mais a atividade, por meio de qualificação técnica, gestão, utilização de tecnologias corretas de produção e beneficiamento dos produtos.

Com o aumento da qualidade da produção, alcança-se novos mercados, e o Sebrae – junto a outras instituições parceiras – vem atuando de modo a estreitar a ponte entre os apicultores e o consumidor.

“Os apicultores e suas famílias são o foco e a razão de ser de tanto trabalho. Nós do Sebrae, por meio da Rede Apes, realizamos e apoiamos muitas ações, mas com um único objetivo: contribuir para o aumento da renda e da qualidade de vida das famílias dos apicultores”, afirmou José Eugênio.

Para ilustrar o alcance das ações, Letícia relembrou uma estratégia recentemente utilizada pela instituição – o envio de apicultores capixabas para a Apimondia, missão empresarial em Buenos Aires, na Argentina; “Na Apimondia os participantes conferiram, em primeira mão, as novidades do setor apícola”.

Rede Apes – A Rede Apes já está presente em vários municípios do Estado. São eles: Afonso Cláudio; Água Doce do Norte; Águia Branca; Alto Rio Novo; Aracruz; Cachoeiro de Itapemirim; Colatina; Domingos Martins; Dores do Rio Preto; Fundão; Guaçui; Ibatiba; Iúna; Jaguaré; Mantenópolis; Marechal Floriano; Muqui; Pancas; Santa Maria de Jetibá; São Domingos do Norte; São Gabriel da Palha; São Mateus; Viana.

Os números da Rede demonstram a importância dessa iniciativa do Sebrae ES para a Apicultura capixaba. Ela é formada por 23 municípios; 408 apicultores atendidos diretamente; mais de 1.500 mil pessoas envolvidas nas ações do programa; 12 mil colméias em produção; produção estimada de 300 toneladas de mel por ano; potencial produtivo de 600 toneladas de mel por ano; produtividade média 20 kg de mel/colméia/ano; 19 associações de apicultores; uma federação das associações de apicultores; um entreposto coletivo; quatro entrepostos particulares com certificação, em Guarapari, Cachoeiro, Nova Venécia e São Gabriel da Palha.

 

Fonte: http://www.portaldoagronegocio.com.br/conteudo.php?tit=apicultura_mais_de_170_pessoas_se_reunem_para_debater_sobre_o_setor_no_estado&id=66981