Manejo

Iniciação a apicultura

Chamamos de apiário ao local onde iniciamos a criação de abelhas instalando as colméias.
Então, vamos apresentar o apiário.

1. Meio Ambiente da Área

Em primeiro lugar, gostaria de iniciar a apresentação falando sobre o município de Kagamino, onde está instalada a Empresa Apiário Yamada, meu ambiente de trabalho. O município de Kagamino está situado na região base das montanhas da região de Chugoku, limitando-se ao norte com a montanha Izumiyama e a outras montanhas com mais de 1.000 m de altitude. Descendo o vale do rio Kagamigawa, a paisagem muda para planície na altura da localidade de Ichiba. Nesta região da Província de Okayama, o rio atravessa o município e encontra com o rio Yoshii, um dos 3 rios mais importantes da Província. É um município com paisagem típica do interior onde são encontradas montanhas altas e baixas, rios com água límpida, que serve de berço das larvas de vagalume e, na primavera, os campos ficam cheio de flores. A Fazenda Apícola Yamada exerce a atividade distribuindo colméias em vários locais de Kagamino, onde a natureza ainda é bastante preservada. Então, o que um apicultor pensa em primeiro lugar quando ele vai implantar uma nova fazenda apícola? Sem dúvida, é fundamental a existência de flores produtoras de bastante néctar que é o alimento das abelhas. Um local que floresce bastante e oferece mel e pólen sem interrupção a partir do início da primavera até o final de outono. Mas não fique preocupado caso não haja flores por perto. Normalmente as abelhas voam em média num raio de 2 quilômetros, isso corresponde a 1,250 ha de terras. Dentro desta área, existem cerejeiras e ameixeiras que florescem na primavera, nos campos e nos vales florescem as lengue(Astragalus sinicus, veja primeira e segunda fotos) e mostarda(Brssica sp.), nos pomares as castanheiras e caquis, e na lavoura existem plantios de abóboras e girassóis. Nas montanhas florescem as espécies florestais como “soyogo”, “tsuge”, “ryoubu” entre outras. Portanto, a quantidade de flores existentes na área define a quantidade de colméias a serem instaladas na fazenda. Para isso, é necessário um planejamento com dados acima, colocando no mapa os locais de instalação das colméias para não ficarem muito próximas umas das outras, a distribuição é de 20 a 30 colméias. Nas áreas nas quais existem bastantes plantas com fonte de néctar e pólen, instalamos em torno de 50 colméias.


2. Espécies de folhosas (folhas largas) e coníferas (folhas acúleas)
A maioria das florestas artificiais no Japão são compostas por espécies de coníferas como sugui (Cryptomeria japonica e Chamaecyparis obtusa). Em Kagamino também existem áreas de reflorestamento com estas espécies. Nestas florestas não é apropriado instalar apiário, porque as flores das espécies coníferas não produzem néctar e, conseqüentemente, as abelhas podem morrer de fome. As coníferas produzem bastante pólen e quando espalha-se pelo vento, por grandes áreas, causa alergia de pólen à população, e como o agente polinizador é o vento, não há necessidade de visita dos insetos para polinização. Na classificação mundial de florestas, o Japão está na faixa de floresta com espécies de folhas largas. Isto demonstra que na cobertura vegetal da floresta do Japão predominavam as espécies de folhosas (folhas largas), como buna(carvalho), kashiwa, kunugi, entre outras. Nestas áreas de floresta com espécies de folhosas, rica em biodiversidade de plantas e animais, as abelhas podem obter mel e néctar em abundância. Nas vegetações das montanhas existem muitas plantas de pequeno porte com cores variadas e que oferecem néctar e pólen.

3. Como é o apiário ideal?

– Em primeiro lugar, deve haver uma boa florada apícola na vizinhança;
– Local com topografia plana na direção ao sul;
– Existência de árvore para minimizar o calor do verão;
– Topografia que permita a proteção contra o vento que sopra do norte;
– Facilidade de acesso, com estradas;
– Área livre de águas, de enchentes;
– Terreno seco. Terreno úmido favorece o aparecimento de doenças. Eis as condições ideais para a implantação de uma fazenda apícola.
Não é necessário ter todas estas condições para a criação. Alguns itens podem ser solucionados com a criatividade. Mas é indispensável a existência de plantas produtoras de néctar e de pólen.


4. Plantio de espécies apícolas

Nós chamamos de plantas de apicultura, aquelas plantas que produzem néctar e pólen em conjunto. Vamos pensar em plantar espécies apícolas nos jardins e nas áreas abandonadas ou degradadas. Mapear os tipos de plantas que agradam as abelhas por fase da estação do ano.
Primavera inunofuguri (Veronica caninotesticulata) ,ameixeira, cameria, hisakaki(Eurya japonica),dente-de-leão, cerejeira, mostarda, rengue(Astragalus sinicus), acácia, laranjeira, etc.
Verão caqui, soyogo(Ilex pedunculosa),kuroganemoti, castanheira, as cucurbitáceas, girassol, yabukarashi, trigo-mourisco, etc.
Outono cosmos, hagui, kudzu, arnica-silvestre, etc.
Inverno nêspera, etc.


5. Apicultura fixa e apicultura migratória

A maioria das pessoas tem a imagem do apicultor de “Cigano das flores”, porque eles migram de sul a norte em busca das flores, durante as estações do ano. Nesta época está terminando a coleta de néctar das flores de campo e os apicultores começam a migrar para o nordeste e norte do Japão em busca de néctar das acácias, trevos e outras espécies, mas grandes movimentações dos apicultores migratórios estão diminuindo a cada ano por causa da avançada idade dos apicultores, da qualidade de vida e, principalmente, pela educação dos filhos. Os apicultores estão optando a instalação do apiário de pequeno porte dentro da própria Província e áreas circunvizinhas e também estão aumentando a apicultura fixa.

Fonte: http://www.3838.co.jp/portuguese/mitsubachi_park/beekeep/beekeep01/beekeep_step1_2.html