Reprodutivo

Aparelho de ultrassom realiza diagnóstico de prenhez com rapidez e segurança

O Dia de Campo na TV vai mostrar o detector de prenhez, um aparelho de ultrassom capaz de detectar a prenhez em equinos e bovinos com segurança, rapidez e custo acessível aos produtores da agricultura familiar que, no Brasil, respondem pela produção de mais de 50% do leite e por 30% dos bovinos do país, de acordo com dados do IBGE de 2006.

A eficiência reprodutiva do rebanho depende do intervalo entre parto e concepção, por isso saber com certeza se a fêmea está com prenhez positiva ou negativa é um passo importante para a sustentação da atividade econômica da bovinocultura. O animal com prenhez confirmada poderá receber tratamento adequado e ser colocado em pasto de melhor qualidade, com alimentação correspondente ao seu estado. Caso contrário, terá a possibilidade de cruzar novamente. Outra razão é que em bovinos é comum acontecer a morte de fetos entre 10 e 15 dias de gestação. Por isso, a detecção precoce da prenhez é importante para o bom planejamento das atividades de cobertura na propriedade.

O método tradicional, realizado pelo toque retal é impreciso porque não permite saber se o feto está vivo ou não, exige peritos altamente treinados, só é confiável após 60 dias da cobertura em bovinos, é oneroso para o produtor, levando até uma falsa prenhez, o que aumenta gastos. Já o método que utiliza o ultrassom por imagem tem custo elevado para o pequeno produtor.

Desenvolvido pela Embrapa Instrumentação em parceria com a Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos – SP), em 1989, o detector de prenhez capta um som equivalente ao batimento cardíaco de um feto, que é bem mais acelerado e com maior número de batimentos por minuto que os da mãe. O aparelho funciona baseado no efeito doppler das ondas contínuas, que é a alteração da frequência sonora percebida pelo observador em virtude do movimento relativo de aproximação ou afastamento entre a fonte e o observador. As ondas mecânicas de frequência ultrassônica e de baixa potência são enviadas para dentro do corpo do animal por meio de um transdutor – sensor que recebe um sinal e o retransmite.

O aparelho detecta a prenhez em equinos e bovinos respectivamente com 22 e 35 dias após a cobertura com 100% de acerto. Com o método tradicional, a detecção é realizada pelo toque retal, ou seja, pela apalpação manual, e só 60 dias após a cobertura. O detector de prenhez está disponível no mercado e teve vendas registradas em todos os estados brasileiros e em 12 países da América Latina.

O Dia de Campo na TV Aparelho de ultrassom realiza diagnóstico de prenhez com rapidez e segurança foi produzido pela Embrapa Informação Tecnológica (Brasília/DF) em parceria com a Embrapa Instrumentação (São Carlos/SP), Unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Assista ao programa:
Canal Rural (Net/Sky) – sexta-feira, às 9h
NBR (TV do Governo Federal) – domingo, a partir das 8h
TV Câmara – domingo, às 9h

Joana Silva (MTB 19554)
Embrapa Instrumentação

Telefone: (16) 2107 2901

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/