Variedades

Ao completar 30 anos, Sementes Falcão inaugura nova unidade de beneficiamento e de tratamento de sementes

10/06/2016

A Sementes Falcão e a Bayer inauguraram nesta sexta-feira (10), a Unidade de Tratamento Industrial de Sementes (TSI) e a nova Unidade de Beneficiamento de Sementes (UBS), em Sarandi, no Rio Grande do Sul. O evento, que contou com a presença de mais de 200 pessoas, entre autoridades, diretores e gerentes das empresas parceiras (Bayer, Monsanto, Monsoy, Case IH, Biotrigo Genética, Embrapa Trigo, OR Sementes, UFRGS e Fundação Pró Sementes), clientes e distribuidores dos estados do RS, SC, PR, SP, MS, GO, MG, marcou os 30 anos de produção de sementes e 45 anos na agricultura da Sementes Falcão. Homenagens foram prestadas aos fundadores da empresa, Manuel Antônio Falcão e Humberto Falcão e aos colaboradores Vergilio Gomes dos Santos e Elio Luiz Maurer, como reconhecimento de trabalho dedicado a agricultura e a produção de sementes.

Entre os investimentos, a empresa modernizou a estrutura de beneficiamento das sementes, com tecnologias de automação e robotização nas fases de ensaque e paletização. Além disso, a capacidade de beneficiamento foi ampliada para até 240 toneladas de sementes por dia. Segundo diretor e engenheiro agrônomo da Sementes Falcão, Humberto Falcão, o novo processo de produção de sementes vai beneficiar ainda mais o agricultor, trazendo ao campo sementes com qualidade superior as já oferecidas e garantindo uma lavoura bem estabelecida e com alto potencial produtivo.

Tecnologia Bayer: tratamento industrial de sementes

Outra inovação que marca os 30 anos da empresa é o tratamento industrial. Através da parceria com a Bayer, o processo passa a ser realizado com uma das mais modernas máquinas de tratamento do mercado, CBT 200. Segundo o diretor da Sementes Falcão, o tratamento protege as sementes e a lavoura em sua fase inicial, resguardando a tecnologia inserida nas sementes e possibilitando um melhor desenvolvimento da cultura. “Esse processo agrega maior valor às sementes e ainda facilita o trabalho do produtor já que ele não precisará mais se envolver com o tratamento no campo, podendo se dedicar exclusivamente à semeadura e ao manejo da cultura durante a safra. As sementes serão tratadas e protegidas com a dose adequada de produtos agroquímicos, além da possibilidade de aplicação de inoculantes específicos e micronutrientes”, explicou.

Em seu discurso, Falcão destacou ainda a importância da parceria com a Bayer para a empresa e para a cadeia produtiva. “A tecnologia confere melhor qualidade na proteção do cultivo, facilidade no manejo para o produtor rural, bem como segurança às pessoas envolvidas no processo de tratamento de sementes, além de propiciar redução do impacto ambiental”, afirmou.

Roberson Lima, diretor da Bayer SeedGrowth™, área responsável pelo TSI, reforçou que essa parceria é importante, pois a região Sul do País tem grande capacidade para produção de sementes, difundindo o conceito de tratamento industrial para o setor. “A Sementes Falcão tem grande tradição, está completando 30 anos de atuação, e faz um trabalho muito forte em relação à qualidade das sementes produzidas. Esse conceito vem ao encontro da filosofia da Bayer, que atua como parceiro do produtor para desenvolver um agronegócio mais sustentável e com ganhos na produtividade, por meio de uma tecnologia de ponta, que atende às necessidades do agricultor com uma solução completa”, disse.

Acima do padrão: sementes com alto vigor e germinação

Além de ser referência em produção de sementes de alto vigor, que aumentam o rendimento dos grãos em 35%, a Sementes Falcão ainda entrega um nível de germinação acima do padrão mínimo estabelecido pelo Ministério da Agricultura. “Nosso objetivo é oferecer aos clientes sementes e grãos de alta qualidade e com o máximo valor agregado”, ressaltou Falcão.  Um dos grandes desafios apontados por ele é que o produtor entenda a relevância da semente entre os insumos da lavoura. “O agricultor define o potencial produtivo da sua lavoura no início do processo, na semeadura. Tudo que se faz depois, como aplicação de fungicidas e inseticidas é para proteger aquilo que já foi estabelecido.  Um dos insumos mais importantes e o único insumo vivo da lavoura, capaz de aumentar a produtividade sem aumentar o custo é a semente”, completa.

Fonte: Agrolink