Pecuária

Análise eletrônica da qualidade do leite fica mais ágil no Paraná

19/04/2017

O controle de qualidade do leite produzido no Paraná ganha mais capacidade e agilidade com a aquisição de uma analisadora eletrônica de leite, um equipamento, recém-adquirido pela Associação Paranaense de Criadores de Bovinos de Raça Holandesa, com o apoio da Secretaria da Agricultura e Abastecimento, e que começou a funcionar nesta semana.

Segundo o secretário de Agricultura, Norberto Ortigara, o monitoramento da matéria-prima é fundamental para dar maior garantia ao processamento dos produtos lácteos, assim como também para o leite in natura. O Paraná é hoje exportador destes produtos e os compradores exigem este monitoramento. “A máquina inaugurada nesta semana vai tornar mais acessível a análise do leite aos produtores, ampliando o controle do produto em todo o Estado”, comenta.

Para José Augusto Horts, gerente do Programa de Análise de Rebanho Leiteiro do Paraná, da Associação de Criadores, a máquina recém adquirida é uma das mais modernas do mundo e identifica de uma só vez vários índices da composição do leite. “O apoio da Seab para aquisição foi imprescindível para alcançarmos este avanço”. O investimento foi de R$ 1,5 milhão, e a Secretaria participou com R$ 490 mil.

COMPOSIÇÃO – A nova máquina tem capacidade para fazer 600 análises de leite por hora e identifica o índice de gordura, de proteína, de lactose, de sólidos, de ureia, de caseína, além contagem de células somáticas. Este último exame é o que faz o monitoramento da sanidade de glândula mamário do animal.

Segundo Horts os exames são feitos tanto em amostras de animais individuais como amostras de leite em conjunto. “Estes exames são importantes, pois com estas informações é possível determinar o rendimento industrial do leite, e outros fatores o maior tempo de vida na prateleira, além de maior segurança no consumo”, informa.

O laboratório da associação atende produtores de leite de todo o Paraná, independente da raça do animal. São feitos mensalmente 200 mil exames, sendo 60 mil de análise de leite individual e o restante de amostra de tanque. São feitas também as análises da produção do Programa Leite das Crianças, do Governo do Paraná.

RELEVÂNCIA – A produção de leite segue em constante expansão no Estado, que é o segundo maior produtor do País, ultrapassando o Rio Grande do Sul, que ocupava essa posição até 2014. A informação é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No período de dez anos, entre 2005 a 2014, o acréscimo foi de 76%, segundo dados do Deral/Seab.

Segundo o médico veterinário do Deral, Fábio Mezzadri, fatos conjunturais como aumento da demanda mundial, consumo interno aquecido, demanda constante pelas indústrias, programas de apoio à produção e boas condições ambientais para o desenvolvimento da atividade favoreceram o crescimento do setor.

“Neste contexto, toda nova tecnologia, como esta nova máquina, é importante para apoiar o produtor, pois a atividade leiteira é uma das únicas presentes em todo o Estado e tem forte apelo social, pois é desenvolvida em grande parte por mão de obra familiar”, analisa.

A região sudoeste do Paraná cresceu muito em produtividade nos últimos anos de acordo com o IBGE e se destaca entre as bacias leiteiras paranaenses. Dos 20 maiores produtores nacionais, cinco são paranaenses, ficando Castro novamente em primeiro lugar com aproximadamente 240 milhões de litros produzidos.

Fonte: Governo do Estado do Paraná