Leite

Análise do mercado de Leite – 24 a 28/01 e 31 a 03/02

Devido ao excesso de importação de leite o preço pago aos produtores está caindo

Fonte: Agrocim

A produção mundial de leite no ano de 2010 atingiu um valor de aproximadamente 694 milhões de toneladas do produto, segundo estimativas. Até dezembro esse valor será ultrapassado e deverá chegar a 710 milhões de toneladas. Os principais países responsáveis por esse aumento são China, Índia, Brasil, União Européia e Estados Unidos. Os dados são da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) e foi divulgado durante um estudo denominado Perspectivas da Alimentação 2010/2011.

Devido alguns incidentes os países que mais contribuem para o mercado de leite, China e Índia, terão suas produções reduzidas, mas mesmo assim a China terá um aumento de 10% e a Índia 4%. Nos Estados Unidos e na União Européia também há perspectivas de aumento, aproximadamente 1%.

Este ano, o preço do leite ao produtor terá uma alta prevista de 7%, aumento ligado à valorização dos custos de produção. A produção terá um aumento esperado de 5 % e em relação ao consumo do produto, também se espera um aumento. O consumo brasileiro deve passar de 60 litros por habitante ao ano para 163 litros. Já a balança comercial deve fechar novamente em déficit, conforme disse o pesquisador da Embrapa.”Acredito que iremos seguir com a balança desfavorável porque os nossos preços ainda estão muito altos em dólar, e, mesmo que o câmbio recue, não será muito. Entretanto, iremos exportar mais este ano, pois os preços internacionais tendem a ser mais altos”, salienta ele.

As importações recordes de queijo e leite em pó foram as responsáveis pelo aumento da balança comercial. Houve um grande aumento do volume de leite sendo importado sob a forma de queijos e o aumento desse volume juntamente com a redução do consumo no início do ano levou a queda no seu preço na primeira quinzena de janeiro. O leite em pó foi responsável por 20% das importações no mês de dezembro e dessa forma o mercado permanecerá favorável às importações e desfavorável para o setor leiteiro nacional.

Até a terceira semana do mês de janeiro, a balança comercial apresentou exportações de US$ 4,272 bilhões, importações de US$ 3,592 bilhões e resultou em um superávit de US$ 680 milhões. No ano, as exportações somam US$ 10,936 bilhões, as importações, U$S 10,246 bilhões, mantendo um saldo positivo de US$ 690 milhões.

Com relação aos derivados do leite, o queijo mussarela perdeu força no mercado devido ao aumento da oferta nacional e importada. Na primeira quinzena de dezembro, após quatro meses de preços elevados, o produto desvalorizou. Já o leite UHT, seguiu firme no final de 2010. O preço médio do UHT foi de R$ 1,63/ litro no mês dezembro. E devido aos estoques relativamente baixos, a expectativa é de que o mercado do leite UHT permaneça firme.

O Índice de Captação de Leite, de acordo com dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), nos estados do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Bahia, fechou 2010 com aumento de 3,05% em relação a 2009. Nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraná a captação de leite teve aumentos entre 4% e 6%. Já em Goiás, houve uma diminuição.

No mês de dezembro o ICAP-Leite teve um aumento de apenas 0,4%.No Paraná e Rio Grande do Sul a captação diária teve leves recuos, Minas Gerais fechou estável e Goiás e São Paulo fecharam em alta de respectivamente, 2,5% e 1,3%.

No estado do Rio Grande do Sul o preço médio do leite pago ao produtor no mês de janeiro apresentou uma alta de 4,6%, fechando em R$ 0,6815/litro. Em Santa Catarina houve um aumento de 1,9% e fechou em R$0,7514/litro. No Paraná, houve uma alta de 1,1%, média de R$0,7553/litro. Em São Paulo teve uma alta de 1,2% e fechou em R$0,7146/litro. Na Bahia o preço médio teve uma queda de 2,5% e caiu para R$0,6373/litro. E em Minas Gerais e Goiás os preços se mantiveram praticamente estáveis. Goiás teve uma alta de 0,4% e Minas Gerais teve uma queda de 0,3%, fechando em respectivamente R$0,7397/litro e R$0,7211/litro.

Durante a semana, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Faesc) e a Conseleite divulgaram que o preço do leite pago aos produtores está caindo. O motivo está ligado ao excesso de importação do produto e isso está afetando diretamente a cadeia produtiva brasileira de lácteos. O preço do leite sofreu uma redução 3,1% e o preço de referência do leite acima do padrão, segundo estimativas, poderá passar para R$0,7053/litro, o leite padrão para R$0,6133/litro e o leite abaixo do padrão para R$0,5576/litro. “Este será um ano mais dificil: o produtor terá de melhorar o gerenciamento da propriedade porque os custos serão mais altos”, disse Rubez. Já no mercado internacional, o preço dos lácteos está em alta.

Fonte: Cileite, Cepea, Milknet

Analista: Regina Barbosa Torres

Centro de Inteligência em Mercados

Fonte: http://www.agrocim.com.br/analise/24-a-2801-e-31-a-0302.html