Milho

Análise de Milho – 11/04 a 22/04

As exportações de milho em março somaram 392,5 mil toneladaas

Fonte: Agrocim

As exportações de milho em março somaram 392,5 mil toneladas, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), compilados pela Céleres. O volume é 15,9% superior ao de março de 2010, mas 66,9% inferior a fevereiro deste ano. A quantia só fica atrás do volume de março de 2008 (651,3 mil toneladas) e março de 2009 (451,9 mil toneladas). A receita com a exportação em março foi de US$ 112,6 milhões, 53,1% acima do mesmo mês de 2010, Com este cenário a quinzena começou com preços firmes mesmo com pequenas quantidades de volumes comercializados, a cotação está valendo R$ 30,44/sc.

Já nos EUA começam preocupações de que esta mais lento o cultivo do milho, pois devia estar de 4 a 6% e o relatório da USDA informou que está no patamar de 3%, aumentando assim as preocupações de que a expansão da área prevista não seja capaz de produzir o suficiente para repor os estoques.

A Conab, Companhia Nacional de Abastecimento, cancelou o leilão de VEP para o milho que seria realizado dia 13. O motivo, de acordo com o Ministério da Agricultura, foi que o cálculo que estipula o valor do subsídio estava abaixo da paridade com o produto importado, que é referência para a realização dessa operação de estímulo à transferência de produto das áreas produtoras para regiões com necessidade de abastecimento.

No porto do nordeste, a mercadoria argentina é referência para o cálculo, mas, com as altas do preço do milho no mercado internacional, a importação do Mercosul não é mais alternativa, o que resulta em maior competitividade no mercado interno com a anulação da ajuda do governo para estimular as compras do milho de Mato Grosso pelos consumidores do Nordeste.

Ao longo deste ano, a Conab já realizou 11 operações de VEP de milho, e negociou 301,7 mil toneladas de grãos.

Um movimento de realização de lucros motivou a queda das cotações do milho no dia 15 na bolsa de Chicago. os contratos com vencimento encerraram a sessão a US$ 7,4950 por bushel, em baixa de 11,50 centavos de dólar. Para os contratos futuros mais próximos, referentes à produção do ciclo 2010/11 nos EUA o plantio da safra 2011/12 ganhará força no próximo mês, é o menor patamar em duas semanas. Traders destacaram, também, que a inflação na China é uma preocupação cada vez maior, já que poderá levar o governo do país a adotar novas medidas para frear o acelerado crescimento econômico.

Fontes: Noticias Agrícolas; Cepea; Só Notícias; Valor Econômico; Globo Rural.

Analista: Guilherme Jorge Emiliano de Paula (Centro de Inteligência em Mercado)

http://www.agrocim.com.br/analise/Analise-de-Milho–1104-a-2204.html