Videos

Ambientalistas liderados pelo príncipe Charles estão em campanha contra produtores brasileiros

Publicado em 30/10/2017

Confira a entrevista com Ricardo Arioli – Engenheiro Agronomo da Aprosoja – MT

Produtores brasileiros, em parceria com a Aprosoja e a Abiove, estiveram pela quarta vez na Europa para mostrar as vantagens da Soja Plus, dando o enfoque para o fato de que a soja brasileira é produzida de forma sustentável.

Contudo, a visita coincidiu com um protesto pela moratória do cerrado. O movimento é apoiado pelo Príncipe Charles, do Reino Unido, que conseguiu cerca de 23 assinaturas de empresas que se posicionaram contra a produção nesta região do país.

Ricardo Arioli, engenheiro agrônomo da Aprosoja MT, que esteve presente nesta comitiva, destaca que a moratória do cerrado não é coisa nova, mas que os produtores estão combatendo este argumento com fatos e “entregando no mercado mais do que esperavam”. Segundo ele, o argumento dos manifestantes, para que haja o desmatamento zero no Cerrado, é “indefensável”.

Ele salienta a necessidade de combater o desamatamento ilegal, que, consequentemente, afeta a imagem dos produtores rurais brasileiros. Contudo, a produção agrícola no cerrado é realizada com a manutenção de reservas legais. O Código Florestal Brasileiro permite que 65% da área do Cerrado seja ocupada pela produção agrícola, enquanto 35% deve ser preservada.

Para ele, o Cadastro Ambiental Rural (CAR) é uma grande novidade que os produtores brasileiros estão levando para a Europa, já que é possível visualizar a propriedade de cada produtor e observar as áreas preservadas. Arioli lembra que 33% da área preservada no país está dentro das propriedades, dado que foi ressaltado nas reuniões realizadas com europeus.

O engenheiro enfatiza que o Brasil está fazendo “muito mais do que outros países estão fazendo”, uma vez que, para ser produtor rural, essas áreas de proteção ambiental têm que ser comprovadas.

Sobre a visita, ele avalia que a comitiva brasileira conseguiu chegar com um discurso melhor e com propostas muito mais avançadas do que havia anteriormente e que “este é o caminho para continuarmos com a Soja Plus”.

Quanto à moratória do cerrado, ele lembra que não há nada assinado no Brasil que faça pressão em torno deste fator, mas que ele espera que o Governo brasileiro tenha uma posição firme. Para Arioli, a agricultura brasileira possui “força e argumentos” para fazer reconhecer sua responsabilidade ambiental.

Por: João Batista Olivi e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas