Alta do dólar alimenta esperança do produtor

22/08/2018

A expectativa de o dólar continuar em uma alta que oscila entre R$ 3,95 e R$ 4,25 está aumentando a esperança dos produtores de soja, já que o mercado está permanecendo estável mesmo com o câmbio elevado. De acordo com o analista Luiz Fernando Pacheco, da T&F Consultoria Agroeconômica, a cotação continua baixa em Chicago, mas com a recuperação das negociações entre a China e os Estados Unidos, é possível que ela suba.

“Por enquanto, as cotações estão baixas, porque o que efetivamente conta é que os chineses não estão comprando soja dos Estados Unidos. Mas, com a retomada das negociações, embora ainda a nível de segundo escalão, é possível que EUA e China cheguem a algum acordo e, se os chineses retomarem a demanda por soja americana, Chicago deve voltar a subir aos níveis de antes de março”, explica.

Para o próximo ano, o dólar deve continuar a alto e tendência é de que a economia permaneça conturbada. Segundo o analista, com o dólar subindo e Chicago subindo, a perspectiva da nova safra brasileira de soja para 2018/2019, que começará a ser plantada no próximo mês, é de alta lucratividade para o agricultor brasileiro.

“Estamos prevendo pelo menos um ano (2019) de economia conturbada e dólar alto. Sem querer lembrar 2016, o sojicultor brasileiro está cheio de esperança, com esta alta do dólar. Relatórios recebidos do MT, maior produtor brasileiro de soja, relatam que o mercado spot de soja permaneceu estável nesta terça-feira, com poucos negócios, apesar do câmbio alto. O produtor aguarda agora os R$ 80,00/saca para vender no estado”, informa Pacheco.

Fonte: Agrolink