Raças

Alta contrata novos touros Senepol para sua bateria

14/01/2014

O Senepol chegou ao Brasil no final dos anos 90 e desde então vem apresentando resultados que comprovam sua eficiência e funcionalidade. A raça apresenta rápido crescimento, favorece a pecuária de corte, além de reduzir o tempo do ciclo de engorda. A Alta, apostando neste potencial, realizou o segundo teste de performance de animais da raça Senepol em parceria com a fazenda Tufubarina e a Universidade Federal de Uberlândia. As avaliações técnicas e científicas foram focadas em: ganho de peso, altura de posterior, precocidade sexual e fertilidade, carcaça avaliada por ultrassonografia (área de olho de lombo, acabamento e marmoreio), biotipo animal, perímetro escrotal e avaliação andrológica nos machos. Após a classificação, a Alta contratou os melhores touros: Tuf TIDUM e Tuf BIALO.

O Tuf TIDUM foi escolhido por possuir em sua linhagem Eficience em RBS 9704 e aos 13 meses (idade) apresentou 502 kg e perímetro escrotal de 32 cm. Os destaques ficaram por conta do peso, área do olho do lombo, biotipo e funcionalidade para acasalamentos direcionados para produção de carne de terminação super precoce. O Tuf BIALO, filho de Salvium 43 em Hércules 7801, aos 13 meses encerrou com 484 kg e 33,5 cm de circunferência escrotal e os itens mais marcantes foram o peso, o acabamento, o ganho médio diário de 1,65 kg e o biotipo. “Os touros foram selecionados por exporem aptidões que favorecem a reprodução, capacidade para estarem em uma central e terem seus sêmens disponibilizados aos pecuaristas do Brasil”, afirma Carina Ubirajara de Faria – professora da UFU. Os participantes vieram de diferentes criatórios: Minas Gerais, Goiás, São Paulo, Pará e Distrito Federal. O ambiente ao qual foram alocados era um sistema de confinamento que simulava a pastagem de boa qualidade.

As provas, que iniciaram em maio e foram até novembro de 2013, consistiram em 56 dias de adaptação dos animais ao local dos testes e o restante do período de avaliações. No total foram 112, com mensurações intermediárias feitas em intervalos de 28 dias. Durante este processo, os elementos principais foram divididos em percentuais: 10% para peso final, 20% para o ganho médio diário, 25% para reprodução, 10% para rendimento de carcaça, 15% para acabamento e 20% para biotipo. Os números gerados para elaboração dos resultados foram cruciais para a classificação dos animais nas categorias: elite, superior e inferior em referência ao Índice de Seleção do Teste de Performance da Associação Brasileira dos Criadores de Bovinos Senepol.

As provas mostraram que o Senepol é uma das melhores raças para propriedades de corte. O atributo que mais chama a atenção é a capacidade de ganhar peso com velocidade. “Com doze meses em média, os animais ganharam mais de 1kg/dia, número que impressiona. Além de apresentarem outros diferenciais como precocidade sexual, rusticidade e docilidade”, ressalta Carina. Para o procurador da República e criador, Ailton Benedito,  “esta raça, por ser mais dócil, nos dá mais segurança durante o manejo no curral, já outros touros ocasionalmente nos deixam com mais receio”.

Muitos produtores de leite buscam uma raça de corte para sua fazenda e a mais indicada tem sido o Senepol. “É um gado extremamente rústico, bom de peso, manso e tem muita resistência ao sol, diferente do animal de leite que está sempre em busca de sombra”, comenta o produtor de leite Luciano Castro. O médico veterinário Rodrigo Ribeira Cunha, da fazenda Tufubarina, que acompanhou a prova identificou uma boa quantidade folicular e andrológico positivo, ou seja, sistema reprodutivo eficiente.

O teste contribuiu não apenas para identificar os melhores animais, mas para ajudar o Senepol a escrever sua história no Brasil. “É possível encontrar muitos touro bonitos e gordos, mas comprovados zootecnicamente são poucos. Essas provas dão oportunidade para pequenos, médios e grandes criadores trabalharem melhor com a raça e ajudar para que ela cresça”, menciona Carlos M. Junior, da Tufubarina. A raça é promissora no Brasil exatamente pela sua adaptabilidade ao clima tropical. A rusticidade contribui para a criação extensiva a pasto sem necessidade de manejos especiais. Outro fator relevante que merece destaque é o pelo zero, que proporciona ao animal maior resistência ao calor e ao sol. “Em razão de todas essas habilidades do animal, o país está se transformando rapidamente em um celeiro fornecedor de sêmen Senepol”, finaliza Carlos.

Fonte: Agrolink
Autor: Lucia Nunes e Mariana Roman