Sanitário

Aliança Láctea Sul Brasileira busca harmonizar regras de inspeção

20/10/2016

Para o secretário da Agricultura e do Abastecimento do Paraná o assunto abordado é bastante sensível aos três estados

A harmonização das regras de inspeção da qualidade do leite foi um dos temas discutidos na reunião da Aliança Láctea Sul Brasileira, entidade criada para transformar os três estados do Sul (Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina) na maior região produtora de leite do País. A reunião aconteceu na última terça-feira (19) e representou o oitavo encontro dos membros que representam os governos estaduais na Aliança. Desta vez também participaram representantes da indústria.

Para o secretário da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, Norberto Ortigara, o assunto abordado é bastante sensível aos três estados, que passam por racionalização de suas estruturas. Ele defendeu a busca de uma solução comum, que ao mesmo tempo não represente aumento na burocracia estatal.

Ortigara ressaltou que a discussão da inspeção sobre a qualidade do leite representa um avanço nas negociações com os demais estados. “O que indica que estamos no rumo certo”, afirmou. “Há problemas a serem resolvidos, que são comuns nos três estados, mas também muitas oportunidades para todos os setores da cadeia produtiva do leite. Vamos construir o avanço da cadeia produtiva do leite a partir de ambiente mais favorável à superação dos obstáculos”.

O secretário destacou, ainda, que o tema inspeção é fundamental para garantia da qualidade do leite produzido na região Sul, o que dará o respaldo necessário para a região avançar nas exportações que é o objetivo comum da Aliança Láctea Sul Brasileira. “Daí a necessidade de discutir com profundidade e chegar a um consenso, para garantir a certificação da qualidade do leite produzido na região Sul”, afirmou.

O diretor presidente da Agência de Defesa Agropecuária (Adapar), Inácio Kroetz, apresentou uma proposta de inspeção harmonizada entre os três Estados, que será levada aos demais membros da cadeia produtiva para ser avaliada.

Liderança 

De acordo com o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2015, a região Sul já é a maior produtora de leite do País, responsável por 35% da produção nacional e está com um crescimento acima da média. O País produz 35 bilhões de litros de leite por ano e a região Sul, 12,3 bilhões de litros de leite por ano.

Para o secretário adjunto da Agricultura de Santa Catarina, Airton Spies, é do Sul que vai sair o leite para atender o mercado internacional. Segundo Spies, a exportação de leite é questão de sobrevivência para a região Sul, que reúne 14% da população brasileira e já está produzindo mais de um terço da produção nacional de leite.

“Já demos salto semelhante com a consolidação de outras cadeias produtivas como a suinocultura e a avicultura, que transformou a região Sul na maior exportadora nesses segmentos. E agora, é a vez do leite”, explicou.

Consenso

Foi consenso na reunião, que o leite produzido na região Sul deve ser competitivo, de alta qualidade e baixo custo. Para isso, os estados têm que fazer seus deveres de casa, investindo em assistência técnica, sanidade, o que irá atrair investimentos industriais de porte.

O representante do governo do Rio Grande do Sul, Fernando Groff, defendeu a organização da cadeia produtiva a partir do campo, destacando que não adianta ter a potencialidade se não houver acesso a tecnologia e à sanidade.

Também participaram da reunião o representante da Federação da Agricultura do Paraná (Faep), Ronei Volpi; o presidente do Sindicato da Indústria do Leite (Sindileite), Wilson Thiensen; o representante da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), Jorge Rodrigues, e o presidente da Emater-PR, Rubens Niedertmann.curitiba

Fonte: Secretaria Agricultura e Abastecimento PR