Pecuária

Alagoas receberá R$ 4,7 milhões para manutenção do Programa do Leite

31/10/2016

São contemplados com a distribuição do leite, gestantes, nutrizes, crianças até seis anos e idosos sem aposentadoria

Criado em 2002 e atualmente beneficiando mais de 80 mil famílias que vivem abaixo da linha da pobreza nos 102 municípios alagoanos, o Programa do Leite em Alagoas receberá recursos para sua manutenção em 2016, da ordem de R$ 4,7 milhões, oriundos do governo federal. O anúncio é do secretário da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, Álvaro Vasconcelos, após seu retorno de Brasília.

Além dos recursos já empenhados, explica o secretário Álvaro Machado, o ministro Osmar Terra garantiu ainda que até o final do ano Alagoas também será contemplado com o aporte de mais R$ 11,1 milhões para o Programa do Leite. “Com esses recursos vamos assegurar a continuação do programa em 2016”, comemora o gestor.

Em Alagoas, cada família assistida recebe 1 litro de leite por dia e essa distribuição é feita seguindo os critérios preconizados pelo Ministério do Desenvolvimento Social Social e Agrário, para o Programa do Leite.

De acordo com o que estabelece o programa, são contemplados com a distribuição do leite, gestantes, nutrizes, crianças até seis anos e idosos sem aposentadoria. O Programa do Leite conta ainda com diversas instituições parceiras que atuam voluntariamente para a entrega do alimento, como igrejas, associações de bairros, prefeituras e a Pastoral da Criança.

Os recursos assegurados com o governo federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, foi uma conquista do governador Renan Filho junto ao ministro Osmar Terra, em audiência na capital federal.

Segundo Álvaro Vasconcelos, ainda durante contato com o ministro Osmar Terra ficou acertado que, em 2017, o Estado de Alagoas vai receber R$ 30 milhões para a execução do Programa do Leite, mais um saldo já pactuado de R$ 7 milhões.

“O Programa do Leite, além de diminuir a mortalidade infantil, contribui ainda para a geração de renda, com a criação de mais de 500 empregos diretos e indiretos nos pequenos laticínios de Alagoas”, reconhece o secretário.

Fonte: Secretaria de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Agrário de Alagoas