Soja

AgRural eleva projeções para safra de soja no Brasil e reduz de milho no centro-sul

Publicado em 27/10/2017

Por José Roberto Gomes

SÃO PAULO (Reuters) – A AgRural elevou suas projeções para área e produção de soja no Brasil durante a temporada 2017/18 e cortou as estimativas relacionadas ao milho de primeira safra no centro-sul do país, de acordo com revisões divulgadas nesta sexta-feira pela consultoria.

Com relação à oleaginosa, a semeadura está prevista agora em um recorde de 34,655 milhões de hectares, ante 34,563 milhões na estimativa anterior, do início deste mês, além de ser 2,2 por cento superior frente 2016/17.

Segundo a AgRural, houve reajustes em praticamente todos os Estados produtores, e a maior parte do crescimento anual, de 350 mil hectares, ocorre no Sul do país, onde a soja avança sobre lavouras do chamado milho “verão”.

A produção da oleaginosa foi calculada pela AgRural em 110,2 milhões de toneladas, ante 109,9 milhões na estimativa passada e 114,1 milhões de toneladas na safra anterior, que registrou produtividades maiores do que as esperadas para a temporada atual.

As novas estimativas ocorrem após um outubro um pouco mais úmido em relação a setembro, quando a estiagem impactou o início do plantio, embora a consultoria pondere que os dados não levam em consideração as condições climáticas.

“A AgRural passará a avaliar o impacto do clima nas lavouras, substituindo a linha de tendência por estimativas estaduais de produtividade, a partir de dezembro. O número atual de produção, portanto, não reflete ainda as condições climáticas registradas até aqui.”

No caso do milho, a AgRural cortou sua estimativa de área no centro-sul para 2,918 milhões de hectares, de 2,970 milhões de hectares anteriormente considerados. O número é 13,3 por cento menor na comparação com 2016/17 –a consultoria não traz estimativas para Norte e Nordeste.

A produção do cereal no centro-sul foi estimada pela AgRural em 21,210 milhões de toneladas, ante 21,633 milhões na previsão anterior e de 25,005 milhões de toneladas na safra passada (queda de 15,2 por cento).

PLANTIO

A AgRural informou que o plantio de soja no Brasil avançou 10 pontos percentuais e alcançou 30 por cento da área até quinta-feira, em linha com a média de cinco anos, mas ainda atrás dos 41 por cento do ano passado.

“A proximidade com a média de cinco anos deve-se à rapidez do plantio no Sul do país, que está adiantado não só na comparação com a média, mas também em relação ao ano passado”, destacou a consultoria.

Em boa parte do Centro-Oeste, porém, os problemas causados pela irregularidade das chuvas continuam. O maior atraso é registrado em Goiás, onde apenas 6 por cento da área está plantada, ante 42 por cento no ano passado e 28 por cento na média de cinco anos.

“A boa notícia para o Centro-Oeste é que novembro deve começar com bons volumes de chuva na região. A previsão também é favorável para as demais regiões produtoras do Brasil e mostra, inclusive, alguns volumes para o Matopiba, que deve começar a plantar em breve.”

Para o milho, o plantio até quinta-feira atingia 46 por cento da área, avanço de quatro pontos percentuais na semana, ligeiramente superior frente os 44 por cento da média e aquém dos 52 por cento de um ano atrás.

“O avanço semanal mais lento nesta época do ano é normal, já que o plantio já está na reta final no Sul, mas ainda não engrenou em São Paulo, Minas Gerais e Goiás. Nestes Estados, o tempo seco tem dificultado a fase inicial de plantio, mas há previsão de boas chuvas na virada de outubro para novembro.”

Fonte: Reuters