Milho

Agrotóxicos e outros produtos na lavoura: como aplicar com qualidade

Christofoletti dizia que dentre as várias etapas que constituem o processo de produção agrícola, a aplicação de agrotóxicos é uma das mais exigentes, pois deve atender não somente ao tratamento da lavoura, mas também a cuidados com a preservação do ambiente e com a qualidade final dos alimentos, que chegam à mesa do consumidor.

Fatores ambientais como temperatura e umidade relativa do ar afetam na absorção e na translocação dos agrotóxicos aplicados nas plantações. Quando a umidade relativa diminui e / ou a temperatura do ar aumenta, as gotas do produto aplicado secam mais rapidamente, fazendo com que o produto aplicado seja menos absorvido pela planta, reduzindo seu desempenho na mesma. Para controlar eficientemente plantas daninhas com herbicidas, é necessário preocupar-se com a quantidade de água usada como veículo em sua aplicação, da pressão de regulagem e da velocidade com qual o pulverizador aplica o herbicida.

Na aplicação de agrotóxicos, é possível acompanhar a qualidade da operação através da utilização de indicadores de desempenho que possibilitem coletar dados no campo e conferir com exatidão as conformidades de acordo com o que prescrevem os técnicos. A qualidade de aplicação de agrotóxico pode se tornar marcante para que atinja a produtividade pretendida de uma lavoura, e essa operação tem como principal objetivo aplicar a dose correta do agrotóxico no alvo desejado. Uma pulverização de baixa qualidade pode trazer como consequências perdas significativas na produtividade, ocasionadas por reincidências de doenças, pragas e plantas daninhas na área. Portanto, o acompanhamento da qualidade da aplicação de defensivos agrícolas é muito importante para que se consiga controlar com eficiência fatores danosos à lavoura.

Bonilla afirma que o controle de qualidade é possível de ser aplicado na produção agrícola, o qual, corrigindo e eliminando desperdícios e erros, reduzindo custos e aumentando a produtividade, traz grandes vantagens na competitividade do campo. De acordo com o pensamento dele, fica evidente que só sobreviverão as empresas agrícolas que aplicam técnicas eficientes na administração de seus custos.

O controle de processos é constituído de ferramentas que possibilitam a melhorar a qualidade e a produtividade nas empresas. É um conjunto de técnicas úteis para resolver problemas, alcançar a estabilidade do processo e aumentar a capacidade produtiva, reduzindo as grandes diferenças nas operações, que quase sempre remetem a erros. Para o mesmo Bonilla utilizar ferramentas estatísticas para controlar a qualidade ajuda a detectar erros nas operações agrícolas, a tempo de ser possível corrigi-los.

Vários autores têm estudado a utilização de técnicas estatísticas de controle de qualidade em operações agrícolas mecanizadas nas mais diversas lavouras, sendo o milho a cultura agrícola de maior destaque nessa linha de pesquisa.

Controlando custos, reduzindo desperdícios e produzindo com eficiência, chegam alimentos na mesa de todos, tornando esses fatores grandes aliados no combate a fome mundial.

Fonte: http://www.ruadireita.com/outros/info/agrotoxicos-e-outros-produtos-na-lavoura-como-aplicar-com-qualidade/