Pecuária

Agronegócios : Baixa oferta e demanda aquecida mantém carne bovina em alta

Os preços da carne bovina estão em alta, apesar dos problemas com a taxa de cambio e o embargo anunciado pela União Européia. De acordo a Scot Consultoria, o que sustenta os preços são a demanda aquecida, a baixa oferta e problemas na produção e na comercialização em concorrentes importantes como a Argentina.

– O preço da arroba vem de um período muito ruim, chegou ao menor dos últimos 35 anos. Em 2006 houve reação – explicou Alcides Torres, diretor da Scot Consultoria, em entrevista ao Agribusiness Online, nesta terça-feira, dia 22.
A crise enfrentada pelo setor pecuário levou os criadores a reduzirem plantéis, inclusive com o abate de fêmeas. A medida interferiu diretamente no ritmo de produção dos períodos seguintes, ocasionando a escassez de oferta que, aliada ao reforço no consumo, forçou os preços para cima. Valores que podem se manter em alta em função da demanda dos frigoríficos para atender à maior procura pela carne bovina e do ritmo de abate.
– Se o abate de fêmeas crescer, o cenário de preços mais altos se prolonga. Caso contrário, será mais curto – explicou Alcides Torres.
Expansão internacional
Para Alcides Torres, a empreitada de empresas brasileiras, de adquirir unidades produtivas no exterior, é natural e pode beneficiar o mercado como um todo, já que as indústrias terão de reforçar critérios de qualidade e respeitar mais as regras.
– Acumulamos competências na produção e a indústria acompanhou – disse ele.
O diretor da Scot Consultoria destaca que há uma mudança no perfil dos frigoríficos, que se tornam cada vez mais indústrias de alimentos, ampliando a atuação no mercado. Segundo Alcides Torres, a atuação da indústria do setor pecuário será similiar à das grandes multinacionais alimentícias.

Fonte: Canal Rural

http://www.zootecniabrasil.com.br/sistema/modules/news/article.php?storyid=1526