Agro põe R$ 7 bi a mais no caixa do cooperativismo

11/12/2014

Com uma safra praticamente igual a do ano passado, as cooperativas agropecuárias do Paraná conseguiram ampliar o caixa em R$ 7,6 bilhões em 2014, conforme balanço divulgado durante o encontro estadual com cerca de 2 mil cooperativistas, em Curitiba no final da semana passada. O resultado é atribuído ao avanço no índice de industrialização da produção paranaense. Segundo a Ocepar, entidade que reúne as cooperativas do estado, 48% das 20,4 milhões de toneladas recebidas pelas empresas passaram por algum tipo de beneficiamento. No ano passado, o índice era de 46,8% sobre uma produção de 20,3 milhões de toneladas.
Mesmo classificando como bons os resultados de 2014 das 80 cooperativas de produção agroindustrial, o presidente da Ocepar, João Paulo Koslovski, destacou que o desafio agora é elevar o índice para 50%. A estratégia é fundamental para dar continuidade ao aumento do faturamento do setor no estado, que neste ano chega a R$ 50,9 bilhões, superando em 10,4% os R$ 46,1 bilhões anteriores.
 
A receita bruta obtida pelas 228 cooperativas paranaenses supera o orçamento de 23 estados, incluindo o do Paraná, que é de R$ 35,8 bilhões. “Quem industrializa o grão ganha mais, com a vantagem de os preços não oscilarem tanto como no caso dos grãos. Além disso, melhora a competitividade, permite o conhecimento de toda a cadeia, desde a semente até a formulação do produto, e dá mais estabilidade de renda ao cooperado”, argumenta Koslovski.
 
As cooperativas respondem atualmente por 56% da produção e participam com 56% da formação do Produto Interno Bruto (PIB) agropecuário estadual. As exportações do setor movimentaram US$ 2,8 bilhões neste ano, com incremento de 18,64% sobre os US$ 2,36 bilhões de 2013.
 
Investimento
 
Recordes, os investimentos em 2014 totalizaram R$ 2,8 bilhões, dos quais 60% foram destinados à agroindustrialização e o restante para obras de infraestrutura. À medida que ganha escala com produção de valor agregado, o segmento ganha importância sócioeconômica. Atualmente, as cooperativas empregam direta ou indiretamente 2,2 milhões de pessoas, fortalecendo economias de municípios. “As cooperativas são as maiores empresas em 100 cidades paranaenses”, acrescentou o presidente da Ocepar. Além disso, o setor gerou R$ 1,3 bilhão em impostos. Somente a folha de pagamentos consumiu R$ 2 bilhões no ano.
 
Presente e futuro
 
Gigantes fecham ano com resultados em linha ou ligeiramente superiores em relação ao registrado no ano passado. Com faturamento previsto de R$ 2 bilhões neste ano, 13,6% a mais que a receita bruta de R$ 1,76 bilhão de 2013, a Integrada, de Londrina (Norte), prevê fechar o exercício com sobras de R$ 50 milhões, 33,33% a mais que os R$ 37,5 milhões do ano passado. O resultado foi impactado pela quebra da safra de soja, entre 20% e 25%, e pela desvalorização do produto.
 
Fonte: Gazeta do Povo