Curiosidades

Agricultora familiar fornece café para a sede do Governo de Minas Gerais

14/06/2016

Desde maio, Leila do Carmo fornece café moído e torrado para os Palácios da Liberdade e Tiradentes. O contrato vai até o mês de agosto de 2016. Ao todo serão fornecidos 780 quilos de café. “É uma oportunidade a mais de mercado e reconhecimento pelo nosso trabalho”, diz a cafeicultora.

Após ingressar no Certifica Minas Café, Leila do Carmo passou a fornecer café uma cafeteria de Belo Horizonte e para a prefeitura de São José da Lapa, região Central, por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). A produtora ainda comercializa para cooperativas no Sul de Minas. “A certificação é uma garantia da qualidade do seu produto, ajudando a agregar valor”, afirma.

Mudança para melhor

A propriedade da Leila do Carmo é certificada desde 2012. Foi a Emater-MG que orientou a produtora a participar do Certifica Minas Café. Com isso, a rotina no sítio dela mudou. A cafeicultora adotou diversos procedimentos para atender às exigências do programa. Entre eles estão uma gestão mais eficiente, boas práticas de produção e ações de preservação do meio ambiente.

A produtora, por exemplo, passou a registrar todas as informações do cafezal. Isso, não só da parte financeira, mas também do próprio desenvolvimento da lavoura. Leila também adotou práticas de conservação do solo e da água, como a proteção de nascentes, manutenção da vegetação entre as linhas do cafeeiro e a construção de caixas de contenção de enxurradas. Essas ações melhoram a infiltração da água no solo e diminuem o seu escoamento superficial. Além disso, aumentam a diversidade biológica da propriedade e evitam erosão.

Para fazer essas mudanças, Leila contou com a ajuda da Emater-MG. A empresa tem técnicos especialmente treinados para orientar os produtores sobre as adequações das propriedades candidatas à certificação. “O Certifica Minas Café leva mais conhecimento aos produtores sobre sua atividade. Com isso, eles têm melhores condições de tomar decisões”, diz o extensionista da Emater-MG, Eduardo Silva Moreira.

Os procedimentos adotados ajudaram a melhorar a qualidade do café produzido por Leila do Carmo. Segundo ela, o café de sua propriedade é mais saboroso, com um aroma mais agradável e é mais resistente. Além disso, ela conseguiu aumentar a produção. Antes do Certifica Minas Café, Leila do Carmo produzia cerca de 180 sacas de 60 quilos por ano em seis hectares. Hoje, ela produz 240 sacas na mesma área. Tudo isso é importante para que a produtora conquiste novos mercados. “A certificação nos obriga a uma organização maior, levando a melhores resultados”, diz a cafeicultora.

Certifica Minas Café

O programa é uma iniciativa do governo estadual e executado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, por meio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-MG) e do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA).

O Certifica Minas Café incentiva o equilíbrio entre produção e meio ambiente. O cafeicultor tem de cumprir 100 itens para conseguir a certificação de sua propriedade. No final do processo, a propriedade passa por uma auditoria independente e recebe um certificado. Atualmente, 214 municípios mineiros participam do Certifica Minas Café. O número de propriedades certificadas é de aproximadamente 1.200, com outras 800 em processo de certificação.

Fonte: Emater/MG