Trigo

Adubação Nitrogenada em Trigo

As exigências por Nitrogênio nos estádios iniciais de desenvolvimento da cultura de trigo, apesar de serem pequenas, são importantes para promover um rápido desenvolvimento inicial e auxiliar na definição do potencial produtivo da cultura.
A disponibilidade deste nutriente no solo está vinculada, entre outros fatores, à relação carbono/nitrogênio (C/N) dos resíduos culturais, principalmente no sistema plantio direto, onde os mesmos permanecem na superfície do solo. Nessas condições, pode ocorrer deficiência de N para a cultura de trigo quando cultivadas sobre resíduos culturais com alta relação C/N, como o milho, aveia e azevén, isto devido à imobilização deste nutriente pelos microrganismos do solo, ou seja, quando cultivada sob palhada de gramíneas.
Embora grande quantidade de nitrogênio possa existir na parte aérea das culturas de cobertura, a quantidade real deste elemento que será aproveitada pela cultura em sucessão irá depender do sincronismo entre a decomposição da biomassa e a taxa de demanda da cultura do trigo.
De acordo com os princípios para melhorar a eficiência da utilização deste insumo, deve-se adicionar o Nitrogênio na fase em que o trigo encontrar-se em perfilhamento, no máximo em alongamento. No início do perfilhamento aconselha-se utilizar quando a cultura antecessora for uma gramínea ou a densidade de plantas for baixa, para estimular o processo de perfilhamento; caso seja leguminosa ou nabo forrageiro, e com boa densidade de plantas pode-se atrasar um pouco esta adição. Estes estádios de desenvolvimento geralmente ocorre entre os 30 a 45 dias após a emergência da cultura, dependendo principalmente de questões climáticas.
A quantidade de N em cobertura à ser aplicado varia basicamente em função do teor de M.O (matéria orgânica) do solo, da quantidade de fertilizante químico ou orgânico usado na base no momento do plantio e também a expectativa de produtividade no momento da colheita, além da variedade semeada.
Devemos levar em consideração principalmente a umidade do solo no momento da aplicação deste insumo, quando em cobertura, e a fonte de nitrogênio utilizada. Existem diferentes fontes de N (uréia, nitrato de amônio, sulfato de amônio) ambos eficientes, porém com concentração diferente em cada formulação.

Engº Agrº Ângelo Rigon Machado DETEC – COAGRIL

Fonte: http://www.coagril-rs.com.br/?pag=noticias_coagril&acao=ver&codigo=129&titulo=Aduba%E7%E3o%20Nitrogenada%20em%20Trigo