Pecuária

Ações da Chamada Pública do Leite geram resultados positivos em Fagundes Varela

01/03/2016

Aumento na qualidade do leite, diminuição de custos e melhoria da atividade, a partir do auxílio da Extensão Rural e Social. Estes foram alguns dos resultados apontados pelos agricultores participantes da Chamada Pública do Leite, em Fagundes Varela, durante o seminário de avaliação do segundo ano do projeto, realizada na última sexta-feira (26/02).

O evento teve início pela manhã, na propriedade do produtor José Taglian, na comunidade de São Jorge, com a presença do prefeito Jean Fernando Sottilli e do secretário de Agropecuária, Dário Russi. O prefeito parabenizou a Emater/RS-Ascar pelo trabalho desenvolvido e os agricultores participantes por estarem na busca por conhecimento.

Em seguida, o agrônomo da Emater/RS-Ascar, Leandro Ebert, e o técnico em agropecuária, Joel Graciolla, abordaram a produção de leite à base de pasto, destacando as técnicas e o planejamento da propriedade para produzir forragens durante o ano todo e em quantidade suficiente para a alimentação do rebanho. Após a explanação, os participantes visitaram as áreas de pasto implantadas na propriedade de José Taglian e também na de Ari Sechin, onde puderam medir a disponibilidade de forragem e calcular o tamanho e a taxa de lotação dos piquetes em sistema de pastejo rotativo.

No início da tarde, o extensionista social da Emater/RS-Ascar, Airton de Almeida, tratou dos aspectos relacionados ao controle do mosquito Aedes aegypti nas propriedades rurais. Ele lembrou que nenhum caso das doenças transmitidas pelo mosquito foi encontrado ainda no município, mas que é importante a mobilização de todos para evitar a infestação do inseto.

Ebert também apresentou o planejamento do segundo ano do projeto com o grupo e as ações que foram realizadas na Chamada Pública do Leite no município. Segundo ele, as atividades foram direcionadas à redução dos custos de produção, melhoria da qualidade do leite produzido e regularização ambiental das propriedades.

Após, os agricultores participaram de uma oficina, na qual apontaram os seus objetivos com a produção leiteira, as melhorias proporcionadas pela Assistência Técnica e Extensão Rural e Social (ATERS) e os pontos que precisam ser melhorados para alcançarem seus objetivos. ?Os beneficiários demonstraram estar satisfeitos com o que vem sendo realizado e solicitaram a continuidade do trabalho. Os resultados da oficina deixam claro que a linha de ação que está sendo tomada é condizente com as peculiaridades desse grupo de agricultores?, conclui Ebert.

Fonte: Emater – RS