Produtivo

Ácaros diminuem produtividade do seringal

Praga de difícil identificação suga folha da seringueira, o que provoca o amarelecimento e a queda, reduzindo a produção em até 40%

Kamila Pitombeira
26/05/2011

Um dos grandes problemas que ataca todos os seringais do país é o ácaro. Podendo diminuir a produtividade em até 40%, ele causa o amarelecimento e a queda das folhas das seringueiras e exige treinamento para ser identificado pelos produtores. Segundo Eduardo Simões, gerente de departamento de seringueira da Cooperativa Casul, a praga é microscópica e suga a folha da seringueira. É exatamente isso que causa a queda da mesma e diminui a produtividade.

— Existem dois tipos de ácaros que atacam as seringueiras: o calacarus e o tenuipalpus. Ao sugar a folha da planta e fazer com que ela caia, ele diminui a produção do seringal. A diminuição da produtividade vai depender do grau de ataque dessa praga, mas ele pode causar uma desfolha de até 60% do seringal, fazendo com que essa produção caia significamente, chegando a 40% de redução — afirma o gerente.

Ele diz que esse problema ocorre em todas as regiões do país onde se cultiva a seringueira. Mas, em determinadas regiões ou épocas do ano, ele ataca mais ou menos. Para identificar que o seringal está sendo atacado pelo ácaro, Simões explica que o produtor precisa ter conhecimento e treinamento, além de utilizar lupas de aumento de até 20 vezes.

— Caso o problema passe despercebido, ele pode começar a notar o amarelecimento de algumas folhas na copa das seringueiras, o que constata que a praga está atacando seu seringal — conta.

Para ele, o importante é que seja feito o controle antes que as folhas amarelas comecem a aparecer. Ele diz que esse controle pode ser feito através de pulverizações biológicas, utilizando fungos específicos que parasitam essa praga, ou através de produtos químicos específicos para o controle da praga.

— A periodicidade das aplicações depende do ataque da praga. Normalmente, quando ocorrem grandes infestações, o produtor pode precisar fazer de duas a três aplicações para um bom controle. O produtor que quiser saber mais sobre a praga, seus danos e controle, pode entrar em contato também com a Doutora Marineide Vieira, especialista em ácaros da UNESP Ilha Soteira — orienta o gerente.

Para mais informações, basta entrar em contato com a Cooperativa Casul através do número (18) 3582-9090.

Fonte: http://www.diadecampo.com.br/zpublisher/materias/Materia.asp?id=24397&secao=Pacotes%20Tecnol%F3gicos&c2=Outros