Pecuária

Abertura do mercado russo para leite em pó beneficia pecuária mineira

31/07/2015

A abertura do mercado russo para o leite em pó brasileiro, anunciada neste mês, abre boas perspectivas para os pecuaristas mineiros. Esta será a primeira vez que o Brasil venderá o produto à Rússia e o Governo de Minas Gerais não medirá esforços para que os produtores do estado aproveitem a oportunidade. De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Brasil almeja atingir 50% do mercado russo, que anualmente importa 630 mil toneladas do produto, o equivalente a US$ 1,2 bilhão.

Além de possuir o maior número de vacas ordenhadas do país (5,9 milhões de cabeças), Minas Gerais é maior produtor nacional de leite, com aproximadamente 9,3 bilhões de litros por ano. Tamanha produção faz do estado também o maior exportador de leite em pó do Brasil. Dos US$ 211,6 milhões movimentados em 2014, 54,7% (US$ 120 milhões) têm como fonte a agroindústria mineira.

A abertura de um novo mercado para a exportação do leite em pó e o cenário favorável à produção e ao beneficiamento da matéria prima produzida no estado foram comemoradas pelo assessor técnico da Superintendência de Política e Economia Agrícola da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Francisco Lara.

“Minas Gerais tem indústrias preparadas para fazer o beneficiamento do leite e atender à demanda aberta pelo mercado russo. A Seapa, junto às suas vinculadas (Emater, Epamig e IMA), fomentará a competitividade da cadeia produtiva do setor lácteo, nos seus diferentes segmentos”, garante.

Programas de fomento

Entre as ações que o Governo de Minas Gerais propõe para garantir a competitividade no setor e também a qualidade do produto mineiro, está o Minas Leite, programa de qualificação gerencial e técnica das unidades produtivas de pecuária leiteira.

O Minas Leite oferece assistência sistemática e específica aos produtores rurais com vista à redução de dificuldades técnicas enfrentadas no processo produtivo. O objetivo é garantir a qualidade do produto final, em atendimento às exigências do mercado consumidor e à sustentabilidade econômica das unidades produtivas.

Diante de critérios rigorosos para a exportação do leite em pó, o Governo do Estado incentivará desenvolvimento de toda a cadeia produtiva do leite, compreendendo desde a oferta de insumos, a produção primária, a agroindústria e a comercialização, que agora ganha um novo mercado no comércio exterior.

Exportações em Minas Gerais

No médio prazo, o Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) espera exportar, anualmente, 20 mil toneladas de leite em pó para o mercado russo. “Com certeza essa é uma boa oportunidade para trazer mais divisas para Minas Gerais”, avalia Francisco Lara, ao destacar o ranking atual dos principais países importadores do leite em pó do estado. Atualmente, o principal importador é a Venezuela.

Em 2014, o país sul-americano injetou o equivalente a USS 118,9 milhões na economia mineira com a importação de 22 mil toneladas de leite em pó. Completa a lista dos cinco principais importadores: Guiné Equatorial (USS 310 mil), França (US$ 135 mil), Angola (US$ 61,5 mil) e Paraguai (US$ 20,9 mil). Nas relações comerciais com a Rússia, Minas Gerais tem o país europeu como principal mercado para a carne suína e segundo maior para a carne bovina.

Fonte: Agência Minas