Defensivos

A evolução do manejo de pragas

28/09/2017

Paralelo à evolução dos inseticidas aplicados na lavoura de soja, o manejo também avançou a largos passos, em direção a o que podemos considerar finalmente uma solução para o controle de pragas, como o percevejo. No manejo usual, várias práticas tradicionais comprometiam o resultado final do esforço do produtor. A começar pela falta de monitoramento regular que deixava uma incógnita sobre o melhor momento e local de aplicação do inseticida.

Sem monitoramento, logo sem precisão, o inseticida pegava carona na aplicação do fungicida, fundamental para a proteção contra a ferrugem. Porém, percevejo e ferrugem têm momentos diferentes no ciclo da soja. Para melhor resultado no controle da praga, o inseticida precisa ser aplicado logo com a população baixa, migrante de áreas vizinhas à lavoura. Isso evita ou pelo menos reduz a segunda geração de percevejos dentro do ciclo da soja. A partir daí, é seguir com o monitoramento semanal para controlar possíveis focos com aplicação consciente e, portanto, mais assertivas.

O conhecimento da praga (quanto a sua dinâmica e danos), da planta (quanto a sua fisiologia) e da aplicação (quanto a sua eficiência) é somado ao monitoramento para alcançar o que hoje celebramos como o Manejo Integrado de Pragas. Os benefícios dessa evolução no manejo são extensamente comprovados por pesquisadores e produtores. A Bayer disponibiliza o serviço Patrulha Percevejo para produtores que querem mais do que um combate tradicional a pragas. Querem uma solução.

Fonte: Agrolink