Suinos

Uso da alfafa na alimentação dos suínos

Uso da alfafa na alimentação de suínos

A alfafa é considerada um alimento volumoso, com boas qualidades nutricionais.
Possui elevado teor de fibra bruta, principalmente celulose e lignina, que limita o uso em dietas para suínos. Sua constituição é variável e depende do estágio de
desenvolvimento da planta. Quanto mais madura, maior será o teor de fibra e menor o de proteína bruta. É recomendado o uso com, no máximo, 10% de florescimento das plantas.

A proteína da alfafa possui um bom balanceamento de aminoácidos, com um razoável teor de lisina. Entretanto sua digestibilidade é baixa, com valor próximo a 60%.

A energia também possui baixa digestibilidade em função do elevado teor de fibra. Há dificuldades no fornecimento de níveis adequados de energia em dietas com alfafa, uma vez que a capacidade de consumo de alimentos pelos suínos é limitada.
A alfafa é rica em vitaminas A, E e K, tem alto teor de cálcio e baixo de fósforo. É recomendada para animais adultos, preferencialmente para porcas em gestação. Para as fases iniciais o uso não é recomendado e para crescimento, terminação e lactação, o fornecimento deve ser em níveis restritos.
A alfafa apresenta taninos, que são componentes antinutricionais, que afetam a ação das enzimas reduzindo a digestibilidade dos nutrientes, além de diminuir a palatabilidade do alimento.
Existem normalmente duas formas que a alfafa pode ser fornecida aos suínos:
• Alfafa fresca recém cortada;
• Feno de alfafa moído e misturado à ração.
A forma fresca deve ser fornecida em complementação à ração, podendo na fase de gestação chegar à 50% da dieta. As quantidades de alfafa e de ração fornecidas devem ser controladas, para que as exigências nutricionais diárias dos animais sejam atendidas. Na fase de lactação, estas exigências são altas e neste caso a inclusão de alfafa é bastante limitada pela baixa digestibilidade da energia.
O feno de alfafa possui maior teor de fibra bruta em relação à alfafa fresca e a silagem de alfafa. Deve ser usado como ingrediente das rações, com base na sua composição química e energética.

Fonte: http://www.suinoculturaindustrial.com.br/PortalGessulli/AppFile/Material/Tecnico/alimentosuino.pdf