Pecuária

Manejo adequado garante a formação de uma boa pastagem

A pastagem é o principal alimento dos bovinos de corte e leite e importante fonte de alimento de eqüinos, ovinos e caprinos. A cultura deve ser tratada de forma a não faltar os animais. Um dos grandes problemas do produtor é a falta de pasto, especialmente na época seca do ano. Evitar sua degradação implica em algumas técnicas simples e de baixo custo, como manejar a pastagem adequadamente para garantir oferta regular de forragem e vida longa, formar bem o pasto, escolher a espécie certa para o tipo de solo, clima e resistente a pragas e doenças, adequar taxa de lotação animal, adubar o solo de acordo com as necessidades da área entre outras práticas.

Como formar boas pastagens é o tema do Prosa Rural veiculado esta semana nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, com informações da Embrapa Gado de Corte (Campo Grande – MS). O pasto deve ser tratado como outras culturas, recebendo cuidados desde sua implantação. O primeiro deles é a escolha da forrageira adequada para a terra da propriedade e, para isso, o produtor precisa providenciar a análise do solo.
– Cada área da fazenda tem uma combinação de condições distintas, o que permite a plantação de mais de uma espécie diferente na mesma propriedade – afirma o zootecnista da Embrapa Gado de Corte, Haroldo Pires de Queiroz.
A orientação, aliás, é que o produtor diversifique suas pastagens.
– Se ficar apenas com um tipo de pasto, o produtor corre o risco de perdê-lo devido ao ataque de alguma doença – alerta Queiroz, citando entre outros exemplos, a mono-cultivo de braquiarão na Amazônia onde está ocorrendo, atualmente, a morte súbita das pastagens.

Escolhidas as variedades das pastagens, o produtor precisa cuidar do preparo do solo e providenciar o plantio. Uma causa freqüente de insucesso é o plantio de quantidades insuficientes de sementes. Segundo Queiroz, cada capim precisa de um número certo de plantas que germine e dê início ao pasto. O produtor encontra tabelas com sugestões adequadas de semente (kg por hectare) em folhetos da própria Embrapa Gado de Corte.

Fonte: http://www.zootecniabrasil.com.br/sistema/modules/news/article.php?storyid=426