Feijão

Indianos querem os feijões brasileiros para atender demanda crescente de um mercado que consome 24 mi/t e produz apenas 18 mi/t

Publicado em 23/06/2017

 

Feijão caupi e o carro chefe dos negócios, mas o interesse dos indianos passa por outras variedades como mungo, guandu e pulses como grão-de-bico e lentilha

A Índia é o maior produtor e consumidor de feijão. Hoje, o país produz 18 milhões de toneladas de feijões e também de pulses, mas este volume ainda não é suficiente.

De acordo com Seema Khulbe, da Gree Globe Grains, a população cresce a cada dia. O país tem uma população de cerca de 1,3 bilhão de pessoas e há uma projeção para uma população de 1,7 bilhão em 2050. O PIB cresce 7% por ano e o país tem tudo para este movimento ser anual, com o poder de compra aumentando em conjunto.

O país possui a maior população de classe média do mundo. Melhorando o poder econômico do país, a alimentação é um dos primeiros fatores que crescem. Os pulses são base fundamental da alimentação, uma vez que 40% dos indianos são vegetarianos. Uma parte da população não-vegetariana come carne apenas de maneira moderada.

98% da área de agricultura na Índia “já está tomada e não tem para onde crescer”. O nível de tecnologia também é baixo, mas a demanda é crescente. Hoje, o consumo é de quase 24 milhões de toneladas.

Neste momento, o Brasil tem uma participação extremamente pequena no mercado indiano, ao mesmo tempo em que é o 5º maior produtor de feijão no mundo. O país exportou apenas 30 mil toneladas de feijão caupi no último ano.

Khulbe destaca que a exportação dos feijões mungo branco e preto, do grão-de-bico branco e preto, do feijão guandu e da lentilha seria bastante atrativa para os indianos.

Já existe um interesse do Brasil de ser exportador para a Índia. Segundo ela, os governos estão se falando, mas ainda é necessário “um pouco mais de coragem” para participar desse mercado, como ela salienta.

 

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas