Café

19ª edição da Fenicafé é aberta em Araguari

18/03/2014

O evento, que já está em sua décima nona edição, conta com presença de autoridades políticas municipais, regionais e nacionais, além de representantes de entidades que representam os produtores rurais ligados à cafeicultura. Para o prefeito de Araguari, Raul José de Belém, o evento é fundamental também no sentido de elevar o nome da cidade como referência na cafeicultura do cerrado. “A cidade recebe um número muito grande de pessoas e isso acaba beneficiando outros segmentos, como o setor hoteleiro, comércio e lazer da cidade”.

Anualmente, o evento recebe a visita de cafeicultores de todo o Brasil e, principalmente, da região do Triângulo Mineiro, como o Sr. Gonçalo Apolinário de Souza, que participa da Feira Nacional do Café desde a sua primeira edição. Sr. Gonçalo, juntamente com Sr. Serafim Peres, também produtor rural de Araguari, foram os primeiros a usar a tecnologia de tripa (cinta) para a irrigação da lavoura há 15 anos. Para ele, a Fenicafé sempre foi fonte de informação e acesso a novas tecnologias para a cafeicultura irrigada, o que contribui com o desenvolvimento da produção e, consequentemente, do rendimento da lavoura. “O mercado de café sempre tem seus altos e baixos, mas quem vive da produção de café, como nós, temos que nos adaptar. E a feira nos trás inúmeras oportunidades de inovação”, disse Gonçalo.

O presidente da Associação dos Cafeicultores de Araguari (ACA), Cláudio Morales Garcia, destacou a presença das autoridades à abertura do evento, o que, segundo ele, mostra a importância da Fenicafé no cenário da cafeicultura nacional. “Ficamos muito felizes com a chegada destas autoridades e também de pesquisadores, o que nos mostra que a Fenicafé é referência quando o assunto é cafeicultura”, disse o presidente da ACA, que está otimista em relação ao mercado, mesmo apesar dos prejuízos ocorridos nos três primeiros meses deste ano devido à escassez de chuvas na região. “Com a seca, o café deu uma reagida de preços o que gerou prejuízo nas lavouras, mas a feira serve para que possamos apontar possíveis soluções aos cafeicultores, através das palestras dos pesquisadores que participam da Fenicafé”, disse Cláudio.

Para o deputado federal e presidente do Conselho Nacional do Café, Silas Brasileiro, o atual momento é de precaução, visto que, mesmo apesar da cultura do café ser sempre um bom negócio, ainda falta planejamento, principalmente diante do mercado, onde rege a lei da oferta e da procura. “O Conselho Nacional do Café oferece, semanalmente, este tipo de informação aos cafeicultores para que eles possam se estruturar, produzindo sempre de acordo com o consumo”, disse Silas, ressaltando a importância do controle nacional da produção, “Não é momento de euforia, mesmo apesar de 2011 e 2012 serem muito bons para a cultura do café. As plantas que estavam produtivas há dois anos, nesta terceira safra, com alta produtividade, merecem uma atenção especial por parte dos cafeicultores, pois não podemos produzir sem que haja demanda do mercado. Ainda não temos uma perspectiva concreta, mas nos próximos 30 dias o Conselho apresentará um cenário mais fundamentado em pesquisas para os produtores”, disse.

A Fenicafé, promovida pela Associação dos Cafeicultores de Araguari (ACA) e a Federação dos Cafeicultores do Cerrado com apoio do Ministério de Agricultura e Pecuária (MAPA), Embrapa Café, Prefeitura e Câmara Municipal de Araguari. Para conhecer mais sobre a feira, visite as páginas do evento na internet e nas redes sociais: www.fenicafe.com.br,www.facebook.com/fenicafewww.youtube.com/fenicafeari.

Fonte: Agrolink