Mudas e Sementes Cítricas

A Muda Cítrica

A muda cítrica é o insumo mais importante na implantação do pomar cítrico e como ela é constituída de dois indivíduos, o porta-enxerto e a copa, os cuidados na sua formação devem ser dobrados, devendo ser produzidas com borbulhas e sementes provenientes de matrizes comprovadamente sadias e produtivas, com frutos característicos das cultivares.

Como não existem programas de certificação de mudas obrigatória para os Estados citrícolas brasileiros, à exceção de São Paulo, cabe ao viveirista enorme parcela de responsabilidade na produção das mudas, preparando seus lotes de matrizes – copa e porta-enxerto – provenientes de material básico existente nas instituições governamentais, garantindo dessa forma a multiplicação de material de boa qualidade genética e fitossanitária. Para a região Nordeste os Estados de Sergipe e Bahia estão implementando a sua legislação e possivelmente a partir de 2005 já terão obrigatoriedade na produção telada de suas mudas.

Até que seja feita a implantação dos programas de certificação de mudas, seria altamente interessante que cada estado citrícola criasse associações de viveiristas, que seriam uma ajuda de grande valia na propagação de cultivares melhoradas.

Atualmente, nas regiões produtoras mais evoluídas do mundo citrícola, especialmente naquelas onde ocorrem doenças disseminadas por insetos-vetores, as mudas são produzidas em ambientes protegidos, com borbulhas e sementes originárias de blocos cultivados em telados, que garantem a propagação de material sadio e produtivo. No Brasil, a Clorose Variegada dos citros (CVC), está forçando o emprego dessa tecnologia. Nesses ambientes, a utilização de técnicas apropriadas, como o uso de substratos, água de irrigação tratada contra patógenos, fertirrigação, melhor combate a pragas e doenças, preparo da muda sem copa e outros cuidados, o tempo de formação da muda é encurtado para cerca de 12 meses a partir da semente.

As normas para produção de mudas cítricas estabelecem que elas devem ser podadas, quando maduras, a 40-50cm do solo no caso de tangerineiras e 50-60cm quando forem laranjeiras, limoeiros e pomeleiros. Para formar a copa, deixa-se desenvolver três ou quatro brotações, as mais vigorosas e espaçadas convenientemente, distribuídas em espiral em torno da haste. No método mais moderno e vantajoso, de muda vareta, faz-se apenas o desponte antes do plantio, levando-se a muda para campo, onde a copa é feita. Além do menor tempo que leva para ficar pronta, esse tipo de muda facilita bastante o transporte e o plantio.

Fonte: http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Citros/CitrosNordeste/sementes.htm