variedades

Variedades

Autor(es): Fábio Ricardo Marin

Para garantir rentabilidade ao setor sucroalcooleiro é fundamental obter elevada produtividade da cana-de-açúcar. O melhoramento genético é considerado um dos principais fatores agronômicos que podem contribuir com o aumento da produtividade, permitindo desenvolver variedades que se adaptem melhor às condições adversas de solo e clima e à incidência de pragas e doenças, assim como ao sistema de colheita.

A produtividade média dos canaviais aumentou de 43 toneladas por hectare, em 1961, para 74 toneladas por hectare, em 2005, e grande parte desse aumento pode ser atribuída ao uso de variedades geneticamente melhoradas. A máxima produtividade em cana-de-açúcar depende, também, de um correto planejamento de plantio e de adequado manejo das variedades, as quais devem atender a exigências tanto no campo como na indústria, para maximizar lucros.

A existência de muitas variedades (Figura 1 e Tabela 1) é uma vantagem, embora isto torne difícil a tomada de decisão, já que requer muito mais conhecimento do produtor rural acerca das opções disponíveis. É importante que o produtor possua uma diversidade de variedades e cultivares de cana-de-açúcar na lavoura, pois assim pode diminuir a possibilidade de que uma praga ou doença se prolifere dentro do canavial, causando prejuízos.

 

Fig. 1. Variedades de cana-de-açúcar.
Foto: Raffaella Rossetto.
Tabela 1. Variedades de cana-de-açúcar mais utilizadas no Brasil, distribuídas por instituição de pesquisa.
Planalsucar – Ridesa (RB)
RB70141 RB70194 RB705007 RB705051
RB705146 RB705440 RB72454 RB721012
RB725147 RB725828 RB732577 RB735220
RB735275 RB739359 RB739735 RB765418
RB785148 RB75126 RB758540 RB763710
RB83102 RB83160 RB83252 RB83594
RB835019 RB835054 RB835089 RB835486
RB8491 RB8495 RB842021 RB845257
RB8543 RB855035 RB855113 RB855156
RB855453 RB855463 RB855511 RB855536
RB855546 RB855563 RB867515 RB845197
RB845210 RB855036 RB865230 RB928064
RB858927 RB92579 RB93509 RB931530
RB863129 RB943365 RB872552 RB943538
RB932520 RB925211 RB935744 RB925268
RB925345
Copersucar (SP) – CTC (CTC)
SP77-5181 SP80-3280 SP79-1011 SP87-344
SP79-2233 SP85-3877 SP81-320 SP87-365
SP80-1842 SP81-3250 SP86-42 SP87-396
SP83-2847 SP-2233 SP85-5077 SP83-5073
SP86-155 SP80-1816 SP91-1049
CTC 1 CTC 2 CTC 3 CTC 4
CTC 5 CTC 6 CTC 7 CTC 8
CTC 9 CTC 10 CTC 11 CTC 12
CTC 13 CTC 14 CTC 15 CTC 16
CTC 17 CTC 18
IAC(IAC)
IACSP95-3028 IACSP93-2060 IAC91-1099 IACSP95-5000
IACSP93-3046 IACSP94-2101 IACSP94-2094 IACSP94-4004
IAC91-2195 IAC91-2218 IAC91-5155 IAC93-6006
IAC86-2480 IAC82-2045 IAC82-3092 IAC86-2210
IAC87-3396

Para se ter máxima produtividade, é importante que cada produtor selecione, dentro das opções de variedades ofertadas pelas instituições de pesquisa, aquelas que melhor se adaptam às condições locais. Para isso, deve-se prestar atenção em características como o porte da cana e o fechamento da entrelinha – que podem levar à redução dos custos de manejo e colheita – além de maturação, volume de matéria-prima, entre outros, como pode ser observado na Tabela 2, para a Região Centro-Sul.

 

Tabela 2. Características das variedades de cana-de-açúcar mais plantadas na Região Centro-Sul do Brasil.
EXIGÊNCIA DE SOLOS
Muito exigentes
SP77-5181, SP87-396, SP87-344, SP83-5073, RB85-5546.
Exigentes
RB85-5453, RB85-5036, SP80-1816, SP80-1842, SO87-365, SP80-3280, RB85-5536, SP86-155, SP79-1011, SP81-320, SP-911049.
Pouco exigentes
RB85-5156, RB83-5053, RB83-5486, RB84-5210, RB85-5113, SP86-42.
Não exigentes

RB72-454, RB92-8064, RB83-5089, RB86-7515, RB86-5230, SP83-2847, RB85-5035, SP85-5077.
MATURAÇÃO
Super-precoce
RB85-5156, SP87-396.
Precoce
RB83-5054, RB85-5453, SP77-5181, RB85-5035, RB83-5486, SP83-5073, SP80-1842, SP86-155, IAC86-2210.
Média

SP81-3250, SP80-1816, RB84-5210, RB85-5536, SP87-365, RB86-5230, RB85-5113, RB92-8064, SP85-3877, SP86-42, SP83-2847.
Tardia
RB72-454, RB83-5089, RB86-7515.
RENDIMENTO DE TRANSPORTE
Péssimo
RB83-5486, SP80-1842, RB83-5089, RB83-5054,RB85-5156.
Regular

RB84-5210, SP80-1816.
Bom

SP79-1011, SP77-5181, RB72-454, RB85-5113, RB85-5536, RB84-5257, RB85-5453, SP79-2233, RB86-7515, RB92-8064, SP81-3250.
COLHEITA MECÂNICA
Péssimo
RB83-5054, RB85-5156, RB83-5089.
Ruim

RB83-5486.
Boa

SP79-1011, RB85-5453, SP80-3280, SP80-1816, SP81-3250, RB85-5113, RB72-454, SP-2233, RB86-7515, RB92-8064.
BROTAÇÃO DE SOCA
Sem restrição
RB82-5336, RB82-5536, RB85-5156, SP79-1011, SP79-2233, SP80-1842, SP80-1816, SP80-3280, SP81-3250, RB86, 5230, SP86-155, SP83-2847, RB92-8064.
Boa

RB84-5210, RB85-5113, RB83-5486, RB83-5089, RB85-5453, RB85-5546, RB86-7515, RB85-5035, SP87-365. 

OBS: RB72-454: Não colher em épocas secas (solos pesados) e em épocas frias se queimar.
SP77-5181: Lenta e irregular. Não suporta pisoteio.

BROTAÇÃO DE SOCA COM PALHA
Excelente
RB85-5536, SP80-1842, SP79-1011, SP80-1816, SP86-155, SP80-3280, IAC87-3396, SP81-3250, RB85-5453, SP86-42, SP87-365, RB86-7515, RB92-8064, RB86-5230, RB82-5336.
Boa
RB83-5054, RB85-5113, RB85-5546, RB83-5486.
Regular

RB72-454, RB80-6043, SP85-3877.
FECHAMENTO DE ENTRELNHAS
Bom
RB82-5336, RB85-5113, RB85-5536, SP81-3250, SP80-3280, RB93-8064, RB86-5230, SP86-155, SP87-365.
Regular

RB83-5486, RB85-5546, SP80-1816, RB86-7515, RB84-5210.
Fraco

RB83-5054, SP79-1011, SP80-1842.
SENSIBILIDADE A HERBICIDAS
Muito sensível
RB85-5036, RB85-5113, SP87-365, RB86-5230, SP85-3877.
Sensível

RB83-5089, RB84-5210, SP80-1816, SP80-1842.
NEMATÓIDES
Suscetível
SP-801842, SP81-3250, RB72-454, RB80-6043, RB85-5113, RB84-5210.
Tolerante

SP86-42, SP83-2847, RB92-8064, RB84-5197, RB85-5156.
FLORESCIMENTO
Todos os anos
RB85-5035, RB85-5156, RB85-5453, RB84-5197, RB86-5230, SP83-2847.
Regularmente

SP80-1842, SP80-3280, RB83-5486, SP81-3250, SP87-365.
Raro

RB83-5089, RB80-6043, RB72-454, SP80-1816, RB86-7515, SP85-3877.
Não floresce

RB83-5054, RB85-5113, RB85-5536, RB84-5210, RB92-8064, SP79-1011, SP83-5073.
MATURADORES
Resposta instável
SP81-3250.
Excelente resposta

RB85-5156, RB85-5453, RB85-5536, RB83-5486, SP86-42, RB86-7515.
TOLERÂNCIA A SECA
RB86-7515, RB75-8540, SP79-1011, RB83-5054, SP80-1842, RB85-5002, RB85-5156, SP83-5073.
EXIGENTES EM ÁGUA
SP79-2233, RB85-5453, RB80-1816, RB85-5536, SP87-344, SP85-3877.

Deve-se, também, procurar minimizar os riscos em relação às doenças e pragas, até mesmo aquelas que ainda não ocorreram. Em 1984, a variedade mais plantada, NA56-79, ocupava 43% da área nacional, sendo que a soma das quatro variedades mais plantadas correspondiam a 70% de toda área plantada com cana. Em 2005, foi necessário somar as áreas das oito variedades mais significativas para atingir 60% da área plantada, sendo que as variedades mais utilizadas ocupam apenas 12% da área de cana no país. Este fato contribui para a estabilidade da cultura diante de possíveis epidemias, uma vez que a diversificação genotípica cria uma barreira para os surtos epidêmicos.

Fonte: http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/cana-de-acucar/arvore/CONTAG01_42_1110200717570.html